BNP cria colecção exclusiva de Alexandre Herculano

A Biblioteca Nacional (BNP) decidiu criar no seu Arquivo de Cultura Portuguesa Contemporânea (ACPC) uma colecção documental exclusivamente referente a Alexandre Herculano cujo duplo centenário do nascimento é celebrado este ano.

'Esta decisão - que também se reveste de carácter simbólico -- permite concentrar numa mesma colecção a maioria da documentação esparsa que a BNP foi adquirindo ao longo de mais de um século e que se encontrava dispersa por diversas colecções da Divisão de Reservados', explicou à Lusa o director da Biblioteca, Jorge Couto.

A Colecção de Alexandre Herculano reúne 36 documentos, incluindo as aquisições recentes de 2008 e 2009, e os que se encontravam no ACPC, e 23 outros da Área de Manuscritos.

Os 23 manuscritos avulsos, quase todos autógrafos, são correspondência, documentos particulares e relativos às funções que exerceu como director da Biblioteca Real das Necessidades e da Ajuda, disse a mesma fonte.

Na área epistolar, há várias cartas trocadas entre Herculano e personalidades como Silva Leal, Francisco Freire de Carvalho, Rodrigo José de Lima Felner, Rodrigo Vicente de Almeida, Manuel de Portugal e Castro, Francisco Joaquim Maia, bem como a sua editora, a Casa Bertrand.

A nova colecção integra também 'manuscritos literários como 'Scenas de um ano da minha vida: poesia e meditação' [cerca de 1832]', acrescentou.

Há porém outra documentação do escritor e historiador que, 'por razões que se prendem com o respeito pela proveniência e com a manutenção da integridade das colecções já existentes, manter-se-á nos códices factícios organizados por José António Moniz, em finais do século XIX, e no Arquivo de João José de Mendonça Cortez', segundo nota da BNP.

Mendonça Cortez (1836-1912) foi político, historiador e colaborou com Herculano na "História da origem e estabelecimento da Inquisição em Portugal".

Até final do ano, a BNP apresentará um sítio na Internet dedicado ao autor de "Eurico, o presbítero", que "reunirá não só todos os manuscritos integrados na Divisão de Reservados, independentemente das coleções a que pertençam, como documentação existente na Biblioteca da Ajuda, a obra impressa, e a iconografia existente", adiantou o responsável.

Alexandre Herculano nasceu em Lisboa a 28 de março de 1810, tendo falecido na sua quinta de Vale de Lobo, na Azóia de Baixo (Santarém), a 13 de setembro de 1877.

Publicou vários títulos em diferentes domínios como a poesia, teatro, romance histórico e ensaio histórico.

É autor de uma História de Portugal, desde as origens até ao reinado de D. Afonso III, e de "História das origens e estabelecimento da Inquisição em Portugal", além da edição de um conjunto de documentos, a "Portugaliae Monumenta Historica".

Herculano foi presidente da Câmara Municipal de Belém (1854-1855), e, juntamente com Almeida Garrett e Rodrigo da Fonseca, fundou em 1846 o Grémio Literário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG