Júlio Isidro: "Um bom artista e um artista bom"

O apresentador de televisão Júlio Isidro descreveu João Maria Tudela, que hoje morreu em Cascais, como "um bom artista e um artista bom", lamentando as dificuldades que teve para encontrar trabalho na fase final da sua vida.

"Tinha múltiplos talentos, como cantor e como músico. Era um 'entertainer', um homem que gostava muito de comunicar", afirmou Júlio Isidro à agência Lusa. Descreveu ainda o amigo como "um verdadeiro gentleman", que "sempre cultivou o charme e a elegância". "É mais um artista que desaparece, que é lembrado na hora da morte, mas que viveu esta fase final da vida com grande dificuldade para ter trabalho", lamentou Júlio Isidro, lembrando, no entanto, que João Maria Tudela conseguiu recentemente ter um projecto na RTP Memória.

Cantor e apresentador de televisão, João Maria Tudela morreu hoje de manhã no hospital de Cascais, dois dias depois de sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). A mulher de João Maria Tudela informou à Lusa que o AVC ocorreu na quarta-feira, tendo o artista entrado depois em "coma profundo". João Maria Tudela nasceu em Moçambique em 1929 na antiga capital Lourenço Marques, actual Maputo, começando a actuar como solista no Liceu Salazar. Sem saber música tocava vários instrumentos como piano, guitarra, viola e harmónica.

Em 1959 surge o primeiro e maior êxito da sua carreira, Kanimambo, que levou Tudela a Portugal, Estados Unidos e América do Sul. João Maria Tudela afirma-se depois no meio artístico português e soma vários prémios na televisão.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG