Jorge Palma dedica Bairro do Amor ao grande amigo Zé Pedro

Jorge Palma atuou ontem à noite em Quarteira e dedicou emotivo tema ao seu "grande amigo" Zé Pedro

"Zé Pedro, há 27 dias apenas trocámos aquelas mensagens - ias subir ao palco do Coliseu, mandei-te um punho erguido e tu desejaste-nos (a mim e ao Sérgio Godinho) um bom concerto em Oliveira de Azeméis - neste momento não me ocorre grande coisa, a não ser que a tua baixa deixa um enorme vazio por aqui, meu amigo sincero - 'té já, companheiro" partilhou Jorge Palma na sua página oficial do Facebook.

O músico atuou ontem à noite em Quarteira, no Algarve, e interpretou o tema Bairro do Amor, dedicando-o a Zé Pedro. "A próxima chama-se Bairro do Amor e eu quero dedicá-la ao meu grande amigo Zé Pedro", disse Jorge Palma. O público respondeu com um longo aplauso.

O músico dos Xutos & Pontapés morreu ontem aos 61 anos. Hoje a partir das 16.00 realiza-se o velório no antigo Museu dos Coches, em Belém.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.