Já se pode ler 'Ls Lusíadas em mirandês

No Dia da Língua Mirandesa, é apresentada a tradução do poema épico na segunda língua oficial portuguesa

Há uma nova tradução de Os Lusíadas a partir de hoje e numa língua que, apesar de oficial e falada numa pequena parte de Portugal, poucos portugueses conhecem e até surpreenderia Luís de Camões: o mirandês.

A tradução para a língua mirandesa é de responsabilidade de Francisco Niebro [pseudónimo do professor de Direito Amadeu Ferreira], que já no ano passado publicou na mesma língua a versão em banda desenhada do mais importante poema épico nacional, com ilustrações de José Ruy.

À primeira vista, as diferenças são poucas na capa, e o leitor mais deprevenido acharia estar perante um erro tipográfico que teria feito cair o "O" de Os Lusíadas e posto um "L" no título mirandês que é Ls Lusíadas. Se o leitor reparar na inscrição ao baixo da capa, já poderá aperceber-se da novidade porque está escrito "an Mirandés traduçon", mas é ao ler os versos do Primeiro Canto que se espanta com a transformação: "Aqueilhas armas i homes afamados / Que, d'Oucidental praia Lusitana, / Por mares datrás nunca nabegados, / Passórum par'alhá la Taprobana, / An peligros i guerras mui sforçados." E segue assim pelos restantes 8811 versos que completarão os dez cantos da obra de Camões.

O lançamento da tradução de Ls Lusíadas acontece em Miranda do Douro hoje, o Dia da Língua Mirandesa, 11 anos após o seu reconhecimento oficial como segunda língua oficial de Portugal.

A edição desta tradução de Os Lusíadas é da Âncora Editora, que já publicou vários títulos em mirandês. Francisco Niebro tem outras traduções nesta língua, designadamente de escritores latinos como Horácio, Virgílio e Catulo e duas aventuras de Astérix.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG