Já é possível ler a Cinderela em "emoji"

O britânico Joe Hale traduz os clássicos da literatura para a linguagem "emoji".

Joe Hale estudou literatura e filosofia, depois começou a trabalhar como editor, mas hoje em dia dedica-se a desenvolver um novo tipo de escrita totalmente baseado nos "emoji" - os símbolos que são usados nas mensagens eletrónicas e nas redes sociais para mostrar o estado de estado de espírito dos utilizadores.

Hale começou por traduzir o livro de Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas, para esta linguagem e, na sequência desse projeto, criou um novo alfabeto, só com emojis. Ou seja, em vez de usar um emoji para significar uma palavra, cada emoji substitui uma letra. Desta forma, qualquer pessoa pode escrever em linguagem-emoji tendo a certeza que vai ser compreendida.

Usando esta linguagem, Joe Hale já traduziu a "trilogia das princesas" - Branca de Neve, Cinderela e Bela Adormecida - para emoji. Além disso, também já concluiu outras obras, mais complicadas, como A Metamorfose, de Kafka, Bartleby, o Escrivão, de Herman Meville, e Pássaros, de Daphne du Maurier. O alfabeto-emoji vai sendo adaptado a cada uma das histórias, assim nos contos das princesas poderá haver castelos, diamantes e rainhas, enquanto nos contos mais negros poderá haver insetos e gritos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG