Xutos e Stereophonics no Rock in Rio a 19 de Maio

São as novas confirmações para o mesmo dia em que atua Bruce Springsteen

É um trabalho ingrato mas alguém vai ter de o fazer. Tudo o que passar pela Bela Vista antes de Bruce Springsteen vai ser uma espécie de "banda sonora antes do Boss". Factos, apenas isso. E para esse dia 19 de Maio, o primeiro do festival, há mais duas confirmações: os Xutos & Pontapés e os Stereophonics. Antes de todos eles estará em palco "Rock in Rio - O Musical", que é tudo isso que está no título do espetáculo, não há margem para enganos.

Mas nestes parágrafos, prioridade aos primeiros. E esses são sempre os Xutos & Pontapés, a maior máquina rock"n"roll portuguesa, os outros totalistas de todas as edições Rock in Rio Lisboa além de Ivete Sangalo. Fosse este ou outro concerto, não é preciso desculpa nem novo álbum para se chegarem à frente do palco, nada disso. Os Xutos vão fazer o costume, que no caso deles é mais que elogio, é deixar correr o motor eléctrico que anda por aí há quase 40 anos. E nos bastidores há sempre a hipótese de ver o tempo parar quando Zé Pedro se cruzar com Springsteen. Tem de acontecer, tem mesmo.

Antes, os Stereophonics regressam a Portugal, por onde gostam de passar de quando em vez. Nada de novo para gente simpática vinda da Grã-Bretanha, ainda que estes sejam galeses e mais dados às coisas da música que à indevida exposição solar. Nasceram como banda no início dos anos 90, quando a Britpop não deixava mais nada importasse. São óbvios descendentes desse ADN cançonetista de desde que se estrearam nos discos em 97, com "Word Gets Around", já editaram 9 álbuns. O mais recente, "Keep the Village Alive", foi lançado no ano passado.

Como foi anunciado há dias, os bilhetes para a edição deste ano do Rock in Rio Lisboa estão à venda a partir do próximo dia 11. São entradas diárias e custam 69 euros. Até lá há bilhetes à venda nas lojas Continente, com 25% de desconto em cartão.

Exclusivos

Premium

Betinho

"NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus há seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.