Viagem literária termina em Viana do Castelo

O projeto Viagem Literária, iniciado há cerca de 18 meses, termina em setembro, em Viana do Castelo, com os escritores Manuel Jorge Marmelo e Richard Zimler.

A "Viagem", que procurou levar os escritores e os livros a todas as capitais de distrito, excepto Lisboa e Porto, e às regiões autónomas, iniciou-se em Bragança, no dia 25 de Abril do ano passado.

A proposta é uma conversa entre dois escritores, moderada pelo jornalista João Paulo Sacadura, com público, que também pode fazer perguntas.

No próximo dia 24 de setembro, pelas 21:30, no Teatro Sá de Miranda, em Viana do Castelo, encerra-se oficialmente a Viagem Literária, um projeto "de descentralização cultural", como disse à Lusa Rui Couceiro, da Porto Editora, que organiza a iniciativa.

À conversa, adiantou à Lusa fonte editorial, virão as "mais recentes obras dos autores, como 'Macaco infinito', de Manuel Jorge Marmelo, e pelos seus percursos biográficos e literários, e terminada a conversa, para a habitual sessão de autógrafos e contacto mais direto entre os escritores e os leitores".

Manuel Jorge Marmelo, de 45 anos, foi jornalista de 1989 a 2012, tendo recebido em 1994 o prémio de jornalismo da Lufthansa e, em 1996, a menção honrosa dos Prémios Gazeta de Jornalismo do Clube de Jornalismo. Literariamente estreou-se com "O homem que julgou morrer de amor" (1996), tendo já publicado "mais de vinte títulos", entre romances, crónicas, livros infantis e contos.

Em 2005 recebeu o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, pela obra "O silêncio de um homem só", e, em 2014, o Prémio Correntes d'Escritas/Casino da Póvoa com "Uma mentira mil vezes repetida". "Somos todos um bocado ciganos" e "O tempo morto é um bom lugar" são outros títulos deste autor portuense.

Richard Zimler nasceu há 60 anos, em Roslyn Heights, nos arredores de Nova Iorque, e também trabalhou, durante oito anos, como jornalista. Com um mestrado em Jornalismo, na Stanford University, fixou-se no Porto em 1990, onde lecionou Jornalismo na Escola Superior de Jornalismo e, posteriormente, na Universidade do Porto.

Desde 1996, publicou dez romances, uma coletânea de contos e dois livros para crianças.

Entre os seus títulos destacam-se "O último cabalista de Lisboa", "Trevas da luz", "Goa ou o guardião da aurora", "Se eu fosse" e "O cão que comia a chuva".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).