Versão 3D de "Thriller", de Michael Jackson estreia-se em Veneza

A versão 3D da curta-metragem "Thriller"(1983), de Michael Jackson (1958-2009), realizada por John Landis, estreia-se no Festival de Cinema de Veneza, que é inaugurado no próximo dia 30, foi hoje anunciado.

A versão que é estreada no festival italiano partiu do filme original de 35 milímetros, cujo negativo se encontrava nos arquivos do músico pop, tendo sido utilizada a mais recente tecnologia para a reedição da obra, segundo comunicado do Fundo de Michael Jackson (FMJ).

"Para complementar os visuais aprimorados, todo o áudio - incluindo a música de Michael Jackson, a partitura original de Elmer Bernstein e os efeitos sonoros -, também foi atualizado para os padrões [mais recentes 5.7, 7.1 e Atmos], para criar a experiência visual e acústica de alta qualidade para visualização num grande ecrã, onde Landis pretende que o filme seja apreciado", acrescenta o comunicado do FMJ.

O vídeo "Thriller", de Michael Jackson, inspirado na canção original, foi realizado por John Landis, tem argumento do cineasta e do músico, e é um dos temas do sexto álbum de originais de Jackson, "Thriller", que saiu em novembro de 1982, e recebeu o Grammy para o Melhor Álbum do Ano.

O filme original "não foi reeditado ou cortado de forma alguma", garante o FMJ.

"Estou muito contente por ter tido a possibilidade não só de restaurar, como de melhorar o 'suspense' de Michael Jackson", disse o realizador. "Aproveitámos plenamente os notáveis avanços da tecnologia para adicionar novas dimensões ao visual e ao áudio trazendo-o para um nível totalmente novo. Apesar de 'Thriller' ter sido filmado de forma tradicional, consegui usar o 3D de forma criativa. Mas há uma surpresa bastante chocante", afirmou John Landis, de acordo com o mesmo comunicado.

Os coexecutores do Fundo de Michael Jackson John Branca e John McClain, por seu turno, afirmam no comunicado que "Michael Jackson fez de 'Thriller' uma experiência teatral rica, engraçada, assustadora e divertida. Ninguém antes ou depois fez algo parecido. O 'Thriller' de Michael Jackosn em 3D é um aprimoramento técnico moderno da visão original de John Landis".

Michael Jackson e John Landis começaram a produzir "Thriller" com a estética de uma longa-metragem. O cantor era fã do filme de Landis, "Um Lobisomem Americano em Londres" (1981), e daí ter convidado o realizador.

O responsável pela maquilhagem foi Rick Baker, já distinguido com um Óscar, e foi o responsável pela elaborada transformação de Michael e do elenco.

Michael Peters colaborou com Michael Jackson na coreografia. John Branca, advogado de Michael na época e agora o coexecutor de seu Fundo, com John McClain, elaborou um acordo com o canal de televisão por cabo MTV e a Showtime para exibir o primeiro documentário de "making of", intitulado "Making of Michael Jackson's Thriller".

O festival veneziano, que acontece de 30 de agosto a 09 de setembro, vai exibir filmes no setor de comeptição de Ai Weiwei, Guillermo Del Toro, George Clooney e Alexander Payne.

A abertura da 74.ª mostra de cinema ficará por conta de "Downsizing", sátira de Alexander Payne protagonizada por Matt Damon, integrada na competição oficial pelo Leão de Ouro.

A competição do festival, anunciada pelo diretor executivo, Alberto Barbera, em Roma, no final de julho, inclui os documentários "Human Flow", de Ai Weiwei, sobre a crise global dos refugiados, e "Ex-libris - The New York Public Library", de Frederick Wiseman, a fantasia "The shape of water", de Guillermo del Toro, e "Suburbicon", de George Clooney, escrito com os irmãos Coen e no qual entra também Matt Damon.

Da lista oficial fazem igualmente parte filmes que são potenciais candidatos aos Óscares, sublinha a publicação The Hollywood Reporter, como "Mother", de Darren Aronofsky, "The Leisure Seeker", primeiro filme americano de Paolo Virzì, e "Mektoub, My Love: Canto Uno", de Abdellatif Kechiche.

Fora de competição, Veneza acolherá "Zama", de Lucrecia Martel, "Victoria & Abdul", de Stephen Frears, e algumas produções Netflix, como a série italiana "Suburra", a série "Wormwood", do realizador Errol Morris, e o filme "Our souls at night", de Ritesh Batra, com Robert Redford e Jane Fonda, que receberão este ano o Leão de Ouro de carreira.

Alberto Barbera anunciou ainda um novo concurso dedicado à realidade virtual, com o júri a ser presidido pelo realizador John Landis. "Não será o futuro do cinema, mas outra coisa. É um setor de experimentação", disse o diretor de Veneza na conferência de imprensa.

A secção "Horizontes" abrirá com "Nico 1988", de Susanna Nicchiarelli, sobre a modelo e cantora Nico, musa de Andy Warhol, que fez parte dos Velvet Underground.

O júri da competição oficial será presidido pela atriz norte-ameriacna Annette Bening, de 59 anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.