"Vai ser um concerto a que eu gostava de assistir"

Raquel Tavares apenas adianta que ela e Carlos do Carmo estão a tratar o alinhamento do espetáculod e sábado, 18 de novembro, no Campo Pequeno, com muito carinho.

Que concerto vai ser este?

Não é novidade cantarmos juntos, mas neste concerto vamos fazê-lo de uma maneira bastante atrativa. O Carlos é um artista muito generoso e achou interessante fazer um tipo diferente de concerto. Não posso estragar a surpresa, mas posso dizer que estamos a tratar com muito carinho o alinhamento, queremos que fique na memória das pessoas. Modéstia à parte, vai ser um concerto a que eu gostaria de assistir. É um orgulho estar ao lado do Carlos, ele é um artista muito generoso com a nova geração e faz sempre tudo para nos fazer sentir confortáveis . Não nos sentimos intimidados, pelo contrário.

O que anda a fazer?

No dia 24 sai o meu novo disco, Roberto Carlos por Raquel Tavares. Foi um convite do produtor brasileiro Max Pierre, que já produziu Maria Bethânia, Caetano Veloso, Ney Matogrosso. Aceitei sem pestanejar porque Roberto Carlos foi, a par do Rui Veloso, um dos grandes cantores da minha vida.

Sabia as canções dele de cor?

Sabia praticamente todas. São 14 temas, há participações que ainda não divulgamos. Vamos devagarinho tirar proveito dos galhardetes que temos neste álbum. Foi gravado com orquestração do Brasil, aqui em Portugal contámos com a guitarra portuguesa do Bernardo Couto, um exímio guitarrista. É tudo cantado em português de Portugal mas respeita a letra original brasileira.

Pode revelar um dos títulos?

Como É Grande o Meu Amor por Você, que é o single, e outras canções muito emotivas do repertório dele. É um disco que me recorda muito a minha infância, sempre o ouvi, e como passei muito tempo no Rio de Janeiro ainda fiquei a conhecer mais.

Conhece-o pessoalmente?

Não tive essa sorte. Assisti ao último concerto dele em Lisboa e chorei o tempo todo, como de resto chorei em cada take que gravei em estúdio. Embora seja uma fadista, respeitei a linha melódica e a doçura que ele tem, muni-me disso tudo para homenagear o Rei. No último disco tive o rei do rock português, o Rui Veloso, vou cantar com o rei vivo que é o senhor Carlos do Carmo, já cantei com outro rei que é o Paulo de Carvalho. Sou uma privilegiada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.