Uma sessão só para Madonna na Festa do Cinema Italiano

"Nico, 1988", sobre a os últimos dois anos da cantora alemã foi o filme escolhido pela cantora

Madonna pede, a Festa do Cinema Italiano concede. A estrela americana de origem italiana aceitou o convite da Festa do Cinema Italiano e foi ver Nico, 1988, de Susanna Niccharielli, a magnífica recriação dos últimos dois anos da cantora alemã, numa sessão só para si.

Stefano Savio, diretor da Festa, garante que Madonna gostou do filme: "ela escolheu o Nico, 1988 pois é fã da Nico. Não conseguiu ir na quinta-feira e portanto fizemos-lhe uma projeção privada ontem às 00.15. Ela e os seus acompanhantes curtiram o filme". Como se não bastasse, a organização desta mostra de cinema ofereceu à diva a banda-sonora em vinil do filme.

"A Madonna foi muito simpática e garantiu que ficou com vontade de ver mais filmes na nossa Festa. No final da sessão, em vez de agradecer em italiano, disse-nos obrigado. Posso dizer que apesar de alguma distância, encontrei uma mulher bem acessível", confessa Stefano Savio. O DN soube que a condição para a sua presença era não haver fotografias.

Para Stefano, ter este ícone pop no cinema São Jorge a ver Nico, 1988 não foi uma surpresa: "tinha esperança que ela aceitasse, sobretudo este ano em que estamos com uma programação tão forte e percebi logo que seria Nico, 1988 o filme que ela queria ver, quanto mais não seja por ser falado em inglês. Além do mais, fizemos-lhe um convite de forma muito simpática". Nico, 1988, para o comum dos mortais portugueses, vai estar disponível nos cinemas ainda esta primavera.

A Festa do Cinema Italiano acaba a sua edição em Lisboa na noite de dia 12, quinta-feira. Até lá, no São Jorge, não se espante se quem estiver ao seu lado for mesmo Madonna...

Consulte a programação aqui.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.