Uma despedida emocionada dá prémio de fotografia ao açoriano Luís Godinho

Um grupo de crianças despede-se de uma missão da AMI que ajudou a reconstruir um centro hospitalar na aldeia de Parba, no Senegal. Os miúdos estão pendurados na janela do autocarro. Em primeiro plano ficou uma menina. Luís Godinho tenciona regressar à aldeia com fotos para todos

Os Sony World Photography Awards 2017 anunciaram os vencedores nacionais dos 66 países a concurso. O terceirense Luís Godinho ficou em primeiro lugar entre os portugueses com uma imagem feita no Senegal

Duas semanas intensas no Senegal cristalizadas numa fotografia. Com o olhar triste de uma menina no foco, outros meninos com ela pendurados na janela do autocarro, Luís Godinho ganhou o prémio nacional dos Sony World Photography Awards 2017. A fotografia chama-se "janela" mas o fotógrafo gosta da força que ela transmite. Tanta que quase não precisa de nome.

Luís Godinho está em Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores, cidade natal. Formado em Engenharia do Ambiente, tem 34 anos e é fotógrafo profissional. Fala pelos cotovelos. "A história da fotografia? Começo pelo princípio. Uma amiga minha trabalha no centro Porta Amiga da AMI e manifestou interesse em fazer uma missão no Senegal. Eu fiz um pedido especial para ir como fotógrafo. Paguei a minha viagem e fui".

Naquelas duas semanas os voluntários dedicaram-se à missão de recuperar um centro hospitalar na aldeia de Parba. Luís fotografou. A aldeia, o trabalho. E arranjou novos amigos. "As crianças ficavam fascinadas comigo. Depois daqueles dias em que estivemos todos juntos, a hora da despedida é sempre complicada. Eles queriam estar connosco o mais possível e penduraram-se na janela do autocarro". Ele registou. "Foi emocionante. Pessoas com um coração tão grande, com tão pouco e tanto para dar... é uma fotografia intensa..."

A sua ligação às pessoas que conheceu fica para sempre. No regresso, expôs as fotografias em Lisboa, em maio as imagens desta missão da AMI vão ser expostas na Biblioteca Pública e Arquivo Regional Luís Silva Ribeiro, em Angra do Heroísmo. "As fotos vão ser leiloadas e o dinheiro é para essa aldeia. Faço questão de lá ir levar todos os bens que o que o dinheiro angariado puder comprar. Vou também imprimir as fotos para lhes oferecer", conta.

A biblioteca de Estugarda, na Alemanha, deu a Luís Pina o segundo prémio

Talvez nessa altura Luís consiga saber o nome da menina que ficou no foco da fotografia vencedora.

Este é o primeiro prémio do concurso nacional dos prémios de fotografia Sony 2017. Em segundo lugar ficou Luís Pina, 27 anos, engenheiro, natural de Rio de Mouro, Sintra, a viver na Alemanha. A fotografia "Paraíso é uma biblioteca" regista a Biblioteca de Estugarda, naquele país. "Gosto desta biblioteca porque não é como nenhuma que conheça, quebra as regras", explicou à organização. Em terceiro lugar ficou Nuno Teixeira, engenheiro civil de 36 anos. A foto premiada mostra um homem que, num barco em Moçambique, "dava música a toda a gente". Estas imagens estarão em exposição em Londres, na Somerset House, de 21 de abril a 7 de maio. Os vencedores globais dos Sony World Photography Awards de 2017 serão anunciados a 20 de abril, em Londres. Foram selecionadas entre 105 mil fotografias a concurso.

O homem que dava música numa viagem de barco em Moçambique

Luís Godinho vai lá estar. Depois parte para uma das muitas viagens que tem programadas. Organiza viagens fotográficas de aventura (veio da Índia há poucas semanas), está a criar uma ONG para apoiar crianças em África. Quer "ajudar quem precisa através da arte" e ideias não lhe faltam. No verão está com a agenda ocupada a fotografar casamentos na Terceira. "As pessoas gostam muito, faço um trabalho diferente, mais fotojornalismo. E eu aproveito para ganhar dinheiro para as viagens e comprar material."

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Artes
Pub
Pub