Uma banda que é como uma grande família

Há sobretudo muitos amigos na banda filarmónica da Associação para o Desenvolvimento Cultural e Social de Marvila que é uma das cinco bandas que participam, hoje, no Festival Com"Passo.

culpa foi da filha, Raquel, que pediu para aprender música. A mãe vinha trazê-la e depois ficava por ali, à espera. "E se aproveitasse este tempo e começasse também a ter aulas de música?", pensou. Começou há três anos e hoje, além de continuar a ter aulas de saxofone, Manuela Marques, de 50 anos, é também vice-presidente da ACULMA - Associação para o Desenvolvimento Cultural e Social de Marvila.

Foi mais ou menos o mesmo que aconteceu com Fátima Duarte, de 46 anos, que é a presidente da associação. "A minha filha veio para o rancho e eu comecei a envolver-me na organização. Tudo aqui é feito em regime de voluntariado", conta. "O principal objetivo da ACULMA é ocupar os tempos livres das crianças e jovens do bairro." Além da escola de música, com 57 alunos, há a banda juvenil, a banda filarmónica e o rancho folclórico. E é comum haver irmãos, pais e filhos, casais, famílias inteiras a participar nas várias atividades . "Um traz o outro."

O ponto de encontro é no café, uma das poucas fontes de receita da ACULMA, que fica no rés-do-chão de um prédio na rua António Gedeão. Ao balcão há imperiais e petiscos. Mas, ao fundo da sala, uma porta dá passagem para as instalações da associação: escritório e sala de aulas e, na cave, a sala de ensaios, devidamente insonorizada para não incomodar os vizinhos.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Exclusivos