Um passo de dança com Hollywood

"La La Land: Melodia de Amor, de Damien Chazelle

Quando se revisita abertamente o espírito original de determinados géneros cinematográficos - no caso, o musical - o risco de se incorrer na superficialidade é muito grande. La La Land: Melodia de Amor, do jovem realizador de Whiplash, Damien Chazelle, sendo um desses objetos quase a ceder ao efeito postal (já um fenómeno da crítica americana, e com sete Globos de Ouro conquistados), a verdade é que consegue trocar-lhe as voltas e expressar-se com autenticidade. Essa é a sua grande façanha: convocar a nostalgia sem se precipitar na mera reprodução dos grandes clássicos musicais. Emma Stone e Ryan Gosling, ao configurarem aqui a melodia do amor, são também protagonistas da crença na pureza dos valores artísticos, e da perseverança nos sonhos - ela quer ser atriz, ele quer abrir um clube de (genuíno) jazz.

Vale a pena aceitar esta dança.

Classificação: *** (Bom)

Ler mais

Exclusivos