Tudo o que é cultura pop a caminho da Exponor

Comic Con: o festival de Matosinhos já cativa público nos EUA e na Nova Zelândia

Banda desenhada, cinema, séries televisivas, videojogos, a arte do cosplay, em que fãs se vestem e pintam como os seus heróis de comics e anime preferidos... A loucura do maior evento nacional de cultura pop está de regresso à Exponor, em Matosinhos, entre sexta-feira e domingo.

A segunda edição do Comic Con Portugal quer superar os 30 mil visitantes do ano passado e terá desde logo um espaço de exposição ainda maior, aumentando de 35 mil para 45 mil metros quadrados, como explicou Paulo Cardoso, diretor-geral do evento, ontem, no Porto.

"O objetivo neste ano é aumentar o número de visitantes mas também as atividades, de modo a termos ofertas para os diferentes públicos e proporcionar experiências capazes de surpreender o público a cada instante. Temos um aumento considerável da área de gaming e do auditório principal, que passa a ter capacidade para 2500 pessoas (...) Neste ano é mais fácil captar parceiros porque já não temos de explicar o que é a Comic Con. Existe uma ideia da dimensão do evento e do investimento astronómico que representa, algo que nem quero revelar", explicou Paulo Cardoso, salientando que da parte da organização a ideia passa por fazer crescer o evento a cada ano com o objetivo de "ter já em 2018 um dos maiores eventos de cultura pop a nível europeu": "Queremos chegar aos 100 mil visitantes e atingir a capacidade máxima do recinto. Se isso for possível, faremos do Comic Com Portugal um evento relevante a nível internacional, capaz de se tornar ainda mais apetecível para a indústria."

Veja aqui todo o programa

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).