Três portugueses distinguidos nos Sony World Photography Awards 2018

Um fotógrafo português é finalista em três categorias do concurso profissional dos Sony World Photography Awards, enquanto dois outros receberam menções honrosas no concurso aberto, anunciou nesta quarta-feira a organização.

O concurso de fotografia, dividido em quatro seleções (Profissional, Aberto, Juventude e Estudante), assinala este ano a 11.ª edição com um número recorde de 320 000 inscrições de fotógrafos de mais de 200 países e territórios, de acordo com comunicado da organização.

Sobre os distinguidos portugueses, o fotógrafo Edgar Martins é finalista nas categorias de Natureza Morta, Descoberta e Arquitetura, enquanto Adriano Neves e António Coelho receberam menções honrosas no concurso aberto.

Nas seleções Natureza Morta e Descoberta, o fotógrafo português destacou-se com a série "Silóquios e Solilóquios sobre a Morte, a Vida e outros Interlúdios", representando uma variedade de letras e outros objetos usados em crimes e suicídios. A série foi produzida no Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses. Uma das questões levantadas pelo próprio trabalho, afirma o seu autor, é a das "implicações éticas de representar e divulgar material sensível desta natureza".

O seu trabalho "A Impossibilidade Poética de Conter o Infinito", inserido na categoria Arquitetura, apresenta ambientes diversificados com o intuito de examinar e reavaliar a relação das pessoas com a tecnologia e a indústria, bem como o impacto na nossa consciência social e cultural.

Para o trabalho apresentado à categoria de Arquitetura, Martins apresentou um trabalho feito com as plantas de energia hidráulica da EDP, a Agência Espacial Europeia ou a fábrica da BMW em Munique.

Edgar Martins nasceu em Évora, cresceu em Macau e vive atualmente em Bedford, no Reino Unido, e o seu trabalho tem vindo a ser exposto internacionalmente. Recentemente, foi selecionado como Escolha do Júri nos The Magnum Awards e no Hariban Award, e foi eleito para representar Macau na 54.ª Bienal de Veneza. Em 2009 foi o vencedor do BES Photo e do Sony World Photography Awards na categoria de Paisagem.

O trabalho do finalista e artistas distinguidos pela menção honrosa será exibido na exposição dos Sony World Photography Awards, em Londres, entre 20 de abril e 06 de maio.

Os vencedores do concurso aberto serão anunciados dia 20 de março e os da categoria Profissional a 10 de abril.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.