Subdiretora geral do património demite-se

Anabela Antunes Carvalho, subdiretora geral do Património Cultural, apresentou esta terça-feira a demissão, confirmou ao DN o organismo, que está ligado ao caso das obras de Joan Miró.

Anabela Antunes Carvalho terá alegado, na carta que fez chegar ao gabinete do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, que não estão reunidas condições para permanecer no cargo, razão pela qual já tinha decidido anteriormente não se candidatar ao concurso para o lugar de subdiretora.

A demissão acontece no mesmo dia em que a Christie's decidiu cancelar o leilão das 85 obras de Juan Miró. A Direção Geral do Património está ligada ao caso, uma vez que emitiu pareceres acerca da intenção de alienação da coleção.

O organismo perde, assim, duas responsáveis, uma vez que Isabel Cordeiro deixou o cargo de diretora geral do património esta terça-feira, dia em que foi nomeado o sucessor. Isabel Cordeiro também não se recandidatara ao cargo por divergências profundas em relação às estratégias para o património.

Segundo fonte do organismo a demissão de Anabela Antunes Carvalho não terá a ver com o caso, mas antes com solidariedade para com Isabel Cordeiro, que a convidou para integrar a equipa.

O conservador Nuno Vassallo e Silva, ex- diretor-adjunto do Museu Calouste Gulbenkian, foi nomeado diretor-geral do Património Cultural pela Secretaria de Estado da Cultura, na sequência do concurso público para cargos dirigentes.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.