Star Wars domina universo fantástico da Comic-Con

Termina hoje em Matosinhos o encontro de figuras da sétima, nona e outras artes. Bem caracterizados para estarem perto dos seus ídolos

Se chocar com os atores do quarteto da série televisiva A Teoria do Big Bang entre os milhares de participantes do Comic-Con, que está a decorrer até hoje na Exponor, não pense que está a delirar. Não, tudo o que é personagem de filme, série, livro ou banda desenhada está por ali. E como o Sheldon e companhia do Big Bang eram grandes adeptos destas convenções, bem que poderiam lá estar, para se cruzarem com os atores e autores que vem de várias partes do mundo para dar autógrafos, discursar ou desenhar.

Não estamos em Nova Iorque ou Londres mas em Matosinhos, e as ruas que vão dar à Exponor estão cheias de cosplays - vestidos como os seus heróis - desde sexta-feira. Se a Guerra das Estrelas domina o evento devido à proximidade da estreia do VII episódio da saga, com Darth Vader"s aos montes e tropas imperiais, não faltam outras figuras. Mas já lá vamos, antes ouve-se a Mariana, 18 anos, que é fã do Star Wars desde que os viu em vídeo. A continuação será a primeira vez em que vai ver no ecrã e isso causa-lhe algum receio: "Gostei do IV, V e VI episódios. Os três primeiros desiludiram-me e este espero que não me estrague as expectativas."

Mariana já tirou fotos com o trio de personagens da Guerra das Estrelas, que se destacam no pavilhão porque têm como cenário uma nave Tie-Fighter em tamanho real. Ao lado, podem-se atirar umas setas de borracha sobre vários figurantes dos filmes de George Lucas desde que se paguem poucos euros. Não é nada comercial, antes dinheiro para a solidariedade conforme explicam: "Somos uma organização internacional, a Legião 501, que está por todo o mundo." Em Portugal, a verba recolhida é para uma associação contra a leucemia.

Sara, Paulo e Ana vieram de Lisboa para participarem no Comic-Con e não estão desiludidos. Sara diz: "Experimentamos tudo em pouco tempo". Mas o que mais a deixa feliz é não ter que ouvir comentários pejorativos: "Quando nos vestimos como gostamos as pessoas dizem piadas na rua e até nos insultam. Aqui, estamos à vontade." O trio perde-se entre os milhares de visitantes que enchem o pavilhão de exclamações de surpresa quando se cruzam com uma cinquentona vestida como o Super Mário ou adolescentes que envergam fatos à Catwoman, Homem-Aranha, Thor, Hitman, Harley Queen, Sangoku... Mas é o cadeirão réplica do da Guerra dos Tronos que provoca mais filas. Não há ninguém que não se queira sentar e tirar uma fotografia ali sentado, mesmo que a suas vestimentas nada tenham a ver com a série de George R. R. Martin.

Busca pelo autógrafo

No pavilhão também há lugar para sessões de autógrafos. A maioria dos autores fá-lo de graça, para vender livros ou cartazes, como o japonês Tsuneo Sanda, que veio de Tóquio para alegria dos fãs portugueses do Star Wars. Autografa os cartazes que estão à venda no stand, com bastante procura, afinal o realizador da saga convidou-o a ir ao Rancho Skywalker e autorizou-o a fazer a arte que quisesse com as personagens.

E há mais estrelas. David Anthony Durham já assinou vários exemplares da saga Acácia (ler entrevista ao lado). John Noble, do Senhor dos Anéis e Fringe, faz-se pagar por cada autógrafo concedido e fotografia tirada.

Autores como o norte-americano Brian Azzarelo já deu autógrafos. Samantha Shannon vai dar e Miguelanxo Prado está a dar. O primeiro veio de Chicago de propósito e reservou o dia de hoje para conhecer o Porto. Mas nos dois primeiros dias, Azzarelo teve muita "procura", pois tem no currículo vários volumes de comics com os super-heróis Batman e Super-Homem. "São os únicos com dimensão universal", diz quem também fez vários argumentos para outras personagens míticas, como Wonder-Woman ou Dark Knight, este em parceria com Frank Miller.

A segunda, chega de Londres para divulgar o seu livro A Estação dos Ossos, uma autora que aos 15 anos escreveu um romance, rejeitado por todas as editoras. Samantha vingou-se quatro anos depois, quando criou uma personagem clarividente que habita em Londres no ano de 2059. O contrato de milhões foi assinado em 2012, para sete volumes, tais como os da saga Harry Potter de J.K. Rowling, de quem dizem ser a sucessora.

Histórias há muitas nesta Comic-Con, mas agora está na hora de ir ver o concurso de cosplay. Não faltam concorrentes! E logo depois, o karaoke com bandas coreanas, palco onde não faltam vozes e coreografias. E voltar a ouvir o arfar de Darth Vader uma última vez.

Ler mais

Exclusivos