Sem querer foram ver os aviões... e levantaram voo

A banda portuense regressa ao Coliseu do Porto, no próximo sábado, para encerrar em casa a extensa digressão Serviço Ocasional, que no último ano os levou um pouco por todo o país

É quase como um regresso ao local do crime. Foi exatamente no Coliseu do Porto que, em 2013, Os Azeitonas gravaram o DVD ao vivo Serviço Ocasional, um dos maiores êxitos dos seus já mais de dez anos de carreira, cuja digressão encerram agora nesta mesma sala. "Vai ser um ambiente diferente, porque na altura foi um momento muito mais solene, com o público e os músicos todos sentados. Desta vez, o objetivo é exatamente o contrário. Será o concerto de encerramento da atual digressão e terá uma plateia em pé, de modo a mimetizar ao máximo tudo o que fazemos durante o resto do ano. É quase como se fosse um concerto ao ar livre", explica Mário Brandão, o vocalista, mais conhecido na banda como Marlon.

Não será no entanto apenas mais um concerto, até porque vão estar, literalmente, a tocar em casa. "Escolhemos o Coliseu, porque nesta digressão ainda não atuámos no Porto e fazia todo o sentido terminar na nossa cidade, com um espetáculo diferente", afirma a também vocalista Luísa Barbosa - ou neste caso Nena, nome do seu alter ego musical no grupo. Conte-se portanto com algumas surpresas e um ou outro convidado. "Será um espetáculo mais longo e cuidado, porque vamos estar perante pessoas que conhecem as nossas músicas e vão estar ali de propósito para nos ver. Quando tocamos no resto do ano, nas festas e nas feiras, é para toda a gente, o que nos obriga a ser um pouco mais conservadores no alinhamento. Neste espetáculo podemos ir buscar temas mais antigos e mais intimistas, porque vamos tocar para o nosso público", salienta Marlon.

O último álbum de originais, AZ, data já de 2013, pelo que agora, que vão deixar de novo a estrada, a pergunta se impõe: para quando um novo disco? "Já temos alguns temas novos gravados, mas vamos apenas lançar um single, depois do concerto do Coliseu. Depois estamos a planear lançar mais alguns singles e talvez os compilemos, mais tarde, num álbum. Ou não, vamos ver", revela o vocalista.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos