Ricardo Landum exige indemnização a cantor brasileiro

Tribunal já deu razão ao compositor português, autor de sucessos como "Mãe Querida, Mãe Querida", "Afinal Havia Outra" ou "Sonhos de Menino"

O autor e compositor português Ricardo Landum disse hoje à agência Lusa que encetou um processo judicial de indemnização, no Brasil, pela usurpação dos direitos de autor da canção "Que Mal te Fiz Eu? (Diz-me)", por Gustavo Lima.

Gustavo Lima gravou esta canção sem autorização de Ricardo Lundum, autor da letra e da música, e retirou dois versos, à letra original.

"Ele [Gustavo Lima] gravou a canção em 2014 e foi um grande sucesso, em 2014 e 2015, e foi também gravada por mais de dez artistas brasileiros, mas é uma versão ilegal, pois não me foi pedida autorização, e iniciei um processo contra ele", disse à Lusa o autor de outros sucessos como "Mãe Querida, Mãe Querida" e "Afinal Havia Outra".

A canção "Que Mal te Fiz Eu? (Diz-me)" foi gravada em 2008 pelo cantor português Leandro e, em 2014, pelo brasileiro Gilberto Lima.

O autor, de seu nome de registo Francisco Manuel de Oliveira Landum, que fez parte de bandas como os TNT e Da Vinci, encetou o processo junto das autoridades judiciais brasileiras, que lhe deram razão.

"Vou pedir uma indemnização, mas prefiro não comentar valores", disse o autor, referindo que os números já adiantados pela imprensa - Correio da Manhã refere cinco milhões - "são especulativos".

"Ainda nem chegámos a um acordo entre ambas as partes e, quanto ao valor, há uma base que nós pretendemos, que fica entre nós, e não quero divulgar valores nenhuns", disse Landum, referindo que ainda não "se chegou a esta parte".

"Neste momento o que há é que o tribunal brasileiro nos deu razão, na primeira liminar, e agora vamos seguir até conseguirmos o que queremos, porque a música foi usurpada, foi tratada à maneira do Gustavo Lima e de alguns cantores que pertencem à [discográfica] Som Livre", explicou.

O autor adiantou que este processo está a ser encetado a título individual, e não pediu qualquer apoio junto da Sociedade Portuguesa de Autores, de Portugal.

"Gustavo Lima é o nome mais mediatizado com aquela canção e a pessoa que mais usufruiu do sucesso daquela canção, apesar de ter sido um sucesso esmagador no Brasil. Só o Gustavo está com cerca de 60 milhões de visualizações [na rede social] 'youtube', mas retirou-lhe duas frases e nem sequer fui contactado para dar autorização", sublinhou.

"O autor é dono e senhor da obra e a propriedade intelectual tem de ser defendida", rematou Ricardo Landum.

Ricardo Landum, autor de "Sonhos de Menino", que Tony Carreira gravou, tem assinado canções que fazem parte dos repertórios, entre outros, de Tony Carreira, Leandro, Agatha, Ruth Marlene, Romana e Chiquita.

Ler mais

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.