Quem vai levar a estatueta para casa? A matemática dá uma ajuda

Fórmula tem em conta os prémios recebidos, a quantidade de nomeações, as notas da crítica e dados do mercado de apostas

Os dias e semanas antes dos Óscares são marcados por previsões: quem vai ganhar (e quem merecia ganhar) são alvo de intenso debate em jornais, revistas e sites de todo o mundo, com mais ou menos sucesso. Para melhorar as suas hipóteses, a The Hollywood Reporter recorre a um matemático que usa uma fórmula baseada em dados e estatística.

Ben Zauzmer, licenciado em Matemática Aplicada em Harvard, tem em conta os prémios recebidos, a quantidade de nomeações, as notas da crítica e dados do mercado de apostas, cada um destes fatores com um peso ajustado, numa fórmula que tem experimentado ao longo dos últimos sete anos.

E pelas contas de Zauzmer, esta é a corrida mais renhida para Melhor Filme dos últimos anos, com A Forma da Água e Três Cartazes à Beira da Estrada muito perto: 36,1% contra 31%. De realçar que nas 89 edições dos Óscares, só quatro filmes venceram sem que o realizador também estivesse nomeado, o que é o caso do Três Cartazes - Argo foi o último. Os principais candidatos a protagonizar uma surpresa são Lady Bird, Dunkirk e Foge.

Por outro lado, Zauzmer considera que a categoria de Melhor realizador é fácil: Guillermo del Toro é o claro favorito (58,1%).

Quanto a Melhor Ator, este é o primeiro ano em que SAG, BAFTA, Globos de Ouro e Críticos escolheram todos o mesmo homem: Gary Oldman (A Hora Mais Negra) tem por isso 77,9% de probabilidades de levar o Óscar também. A estatueta de Melhor Atriz também já parece ter destino: Frances Mc Dormand (Três Cartazes à Beira da Estrada), com 75%.

Para Melhor Ator Secundário, o grande favorito é Sam Rockwell, do filme Três Cartazes à Beira da Estrada (74,8%). Allison Janney, a mãe da Tonya do filme I, Tonya, é a mais provável vencedora na categoria de Atriz Secundária (65,4%).

No Argumento Adaptado também há um "líder" destacado, o veterano e muito prestigiado James Ivory por Chama-me pelo Teu Nome (75%). No Argumento Original a corrida é mais interessante com Foge (36,6%) e Três Cartazes à Beira da Estrada (26,8%) destacados.

Em todas as categorias, a que tem o vencedor mais óbvio, segundo as contas de Zauzmer, é a de Melhor Filme Animado: Coco tem 85,1% de probabilidades de sair vencedor.

Agora resta esperar para ver se os votantes da Academia têm vontade de surpreender.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.