Quadro de Picasso roubado há 14 anos regressa a França

As autoridades norte-americanas entregaram ontem a pintura "La Coiffeuse", de Pablo Picasso, roubada há catorze anos do Centro George Pompidou.

A embaixada francesa em Washington foi o local escolhido para a formalização da entrega da obra de arte e para mostrar aos meios de comunicação social a peça avaliada em 15 milhões de dólares (13,5 milhões de euros) e que tinha sido contemplada pela última vez em 1998, em Munique, na Alemanha.

De acordo com o embaixador francês nos Estados Unidos, Frédéric Doré, a obra de Pablo Picasso, datada de 1911, é uma "peça única", sendo o seu destino o museu Centro Pompidou, em Paris, de onde desapareceu em 2001.

O quadro foi encontrado em dezembro passado em Newark, cidade do Estado de Nova Jersey, num barco que vinha da Bélgica. A embalagem tinha uma etiqueta onde se podia ler "Feliz Natal" e onde dizia tratar-se de uma peça de artesanato de 37 dólares.

Os agentes aduaneiros examinaram o barco e descobriram a obra de arte, entregando-a posteriormente ao Departamento de Segurança Nacional (DHS). Neste momebnto, ainda não há pormenores sobre como o quadro foi ali parar e a investigação ao roubo prossegue.

Na cerimónia de entrega do quadro, a diretora do Serviço de Imigração e Controlo Aduaneiro (ICE) dos EUA, Sarah Saldaña, afirmou ser "uma honra poder devolver uma obra tão importante", continuando o seu discurso dizendo que "é uma prioridade significativa" recuperar e devolver peças de arte roubadas.

"Num mundo que se torna cada vez mais pequeno, a proteção dos tesouros culturais têm uma importância cada vez maior", prosseguiu, afirmando que a sua equipa está "comprometida a fazer todos os possíveis para devolver obras de arte aos seus proprietários legítimos".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.