Primeiro publicaram o livro e só depois se conheceram

Um português e um brasileiro lançaram livro sobre Pessoa sem nunca se terem visto. Até esta semana, numa feira literária em Pernambuco

Um escritor beirão e um ilustrador sul-matogrossense são, ao lado, claro, de um poeta lisboeta, os protagonistas desta história. André Morgado e Alexandre Leoni criaram o livro em banda desenhada A Vida Oculta de Fernando Pessoa em regime de crowdfunding (financiamento coletivo) sem nunca se terem visto pessoalmente. Lançada a obra, os dois foram convidados da 11.ª Fliporto, a feira literária internacional de Pernambuco, em Olinda, no Brasil. E, finalmente, conheceram-se pessoalmente.

"Foi muito emocionante a experiência, como um todo, de estar numa festa literária e conhecer finalmente o André", resumiu ao DN o ilustrador Alexandre Leoni, de 26 anos, depois de meses de convivência online com o parceiro de projeto.

André Morgado, de 27 anos, conta que a organização da Fliporto, de tão animada com a história do encontro entre os dois, interrompeu logo o abraço. "Foi um abraço muito rápido porque o diretor fez questão de tirar logo ali uma foto para recordar o momento".

No meio de consagrados como Javier Cercas, Sérgio Godinho, Miguel Sousa Tavares, Richard Zenith, Manuela Nogueira ou Paulo José Miranda, os novatos Morgado e Leoni sentiram-se como peixe na água. "Fomos muito bem tratados por toda a gente, especialmente por quem assistiu à nossa palestra e pelos que fizeram do nosso livro um dos mais vendidos no evento, fiquei encantado tanto pelas conversas com os outros convidados como pelo calor nordestino", afirma o português.

Na edição deste ano da Fliporto, todos falaram sobre o génio de Pessoa, da relação entre Portugal e o Brasil e da língua portuguesa, o mote de um evento que atraiu 90 mil pessoas e movimentou, de acordo com a organização, perto de 1,5 milhões de euros.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Em São Paulo

Ler mais

Exclusivos