Prémio Gulbenkian Arte 2009 atribuído a Vera Mantero

A bailarina e coreógrafa Vera Mantero foi distinguida com o Prémio Gulbenkian Arte 2009, no valor de 50 mil euros, anunciou hoje a Fundação Calouste Gulbenkian, entidade promotora do galardão.

O júri do prémio - composto por João Marques Pinto (presidente), José Gil, Raquel Henriques da Silva, Jorge Silva Melo e Salwa Castelo-Branco - destacou a "originalidade e a consistência" do trabalho da artista, nascida em 1966.

Vera Mantero, que em 2008 completou vinte anos de carreira, "é uma das artistas mais criativas e singulares da cena nacional, com uma sólida carreira construída ao longo de mais de duas décadas", sublinha a entidade, em comunicado.

A instituição destaca ainda que apesar de o nome da artista estar fundamentalmente ligado à dança contemporânea, tem cruzado áreas distintas, como a música, a performance e o cinema.

Vera Mantero, 42 anos, treinou-se em dança clássica com Anna Mascolo e trabalhou no Ballet Gulbenkian, nomeadamente com os coreógrafos Christopher Bruce, Louis Falco, Hans van Manen, Olga Roriz e Vasco Wellenkamp.

Depois de ter abandonado o treino clássico de dança, estudou em Nova Iorque técnicas de teatro, voz e composição, iniciando um trabalho coreográfico próprio.

O cineasta Pedro Costa e ao pintor Ângelo de Sousa foram os artistas premiados em anos anteriores com o mesmo galardão da Fundação Gulbenkian.

Este ano, a entidade já distinguiu o Chapitô com o Prémio Beneficência, a Fundação CEBI e Obra do Padre Américo Prémio Educação, e Maria João Saraiva com o Prémio Ciência.

Ler mais

Exclusivos