Polícia recupera obra de Munch roubada em 2009

História, datada de 1914, foi roubada de uma galeria em Oslo. Trata-se de uma litografia avaliada em 240 mil euros

Uma litografia de Edvard Munch, roubada de uma galeria de arte em Oslo em 2009, foi encontrada no início da semana e dois homens foram detidos por "encobrimento agravado", anunciou hoje a polícia norueguesa.

O desenho do pintor que é reconhecido internacional pela obra O Grito está intacto, segundo precisou a polícia de Oslo, num comunicado.

A litografia em questão, intitulada História, mostra um homem de idade, com barba, que está vestido com roupas remendadas e que está a falar com um rapaz.

A obra foi roubada em novembro de 2009 por um desconhecido que partiu a montra da galeria Nyborg Kunst, em Oslo.

O valor estimado da litografia ronda os 240 mil euros, mas os peritos acreditam que o facto de a obra ser muito conhecida terá dificultado a sua venda no mercado de arte.

A polícia referiu que a obra foi recuperada na segunda-feira, sem especificar pormenores da operação.

Dois homens foram detidos no início da semana por "encobrimento agravado", mas não pelo roubo da obra. A identidade dos suspeitos não foi revelada.

A obra do pintor norueguês Edvard Munch (1863-1944), um dos precursores do expressionismo alemão, tem sido alvo de diversos roubos nos últimos anos. Uma das obras do pintor que já foi roubada foi precisamente O Grito, depois recuperada.

Em 2020 deverá abrir em Oslo o Museu Munch que vai juntar 28 mil objetos doados pelo artista à cidade antes de morrer, em 1944. O projeto é do atelier de arquitetura espanhol Estudio Herreros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...