Apanharam o homem que levou o Óscar de Frances McDormand

Homem de 47 anos foi detido. O prémio foi devolvido à atriz

O responsável pelo desaparecimento do Óscar da atriz Frances McDormand, durante a festa oficial da Academia de Hollywood, após a entrega dos prémios, no domingo, foi detido pela Polícia de Los Angeles, anunciou esta segunda-feira a força de segurança.

A porta-voz do Departamento de Polícia de Los Angeles, Rosario Herrera, anunciou ter sido detido um homem de 47 anos, de nome Terry Bryant, pelo desaparecimento do Óscar de Frances McDormand, ocorrido no domingo, após a realização da cerimónia.

O representante da atriz, Simon Halls, confirmou entretanto a devolução do prémio à atriz poucos minutos depois do desaparecuimento.

"Após uma breve separação, Frances e Óscar estão de novo juntos, felizes e a celebrar o reencontro com um 'cheeseburger' do In-N-Out", disse Simon Halls à Associated Press.

O Óscar de Melhor Atriz, conquistado por McDormand, pelo desempenho no filme "Três cartazes à beira da Estrada", foi levado do Teatro Dolby por um homem de "meia idade", após a entrega dos galardões, quando ocorria a festa da Academia, segundo testemunhos recolhidos por diferentes órgãos de comunicação social, no local.

McDormand celebrava a conquista do prémio, quando deu conta do desaparecimento da estatueta, que já tinha o seu nome gravado na base.

A intérprete, acompanhada pelo marido, o cineasta Joel Coen, procurou o Óscar por todo o edifício, sem o conseguir encontrar, segundo as agências internacionais.

O representante da atriz disse à Associated Press que o Óscar foi devolvido hoje de manhã a McDormand, por agentes de segurança.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.