Philippe Starck e outros 6 convidados na última Experimenta

O criativo encerra o lote de convidados das Conferências de Lisboa. A Experimenta termina aqui.

O designer francês Philippe Starck, agora a viver em Portugal, fundou a sua marca em 1979, renovou o apartamento do presidente francês, trabalhou com marcas planetárias e tem sido presença assídua na EXD'17. Participou numa exposição em 2003, fez parte das conferências em 2005 e retoma este papel este ano, ao lado de outros seis convidados.

O antropólogo indiano Arjun Appadurai, que tem trabalhado a globalização, ?o designer ??????Stefan Sagmeister, o diretor da revista "Monocle" Tyler Brûlé, o neurocientista Miguel Nicolelis, a crítica Alice Rawsthorn e o arquiteto Eduardo Souto Moura são os restantes convidados para estas conferências que acontecem a 30 de setembro no Centro Cultural de Belém.

A edição deste ano, com o tema Before & Beyond, é a última, 18 anos depois do lançamento, e "especialmente simbólica", segundo um comunicado da Bienal liderada por Guta Moura Guedes. "Visa, entre outros elementos, celebrar alguns dos factores mais estruturantes e identitários da EXD. Por um lado, a sua forte componente internacional; por outro o seu interesse pela criatividade nacional; por outro ainda a capacidade prospectiva e investigativa da plataforma, cuja forma de desenvolver conteúdo sempre contribuiu de modo determinante para a sua importância enquanto veículo de inovação e de transformação de conhecimento".

O programa completo será conhecido amanhã no site da Experimenta e os bilhetes para as conferências (5 euros) já podem ser adquiridos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.