Paul McCartney triste com morte de "segundo pai"

O ex-Beatle elogia George Martin, que foi o produtor responsável pelo sucesso do grupo.

George Martin era "um cavalheiro e como um segundo pai", reagiu hoje o músico Paul McCartney ao anúncio da morte do lendário produtor dos Beatles.

"Ele guiou a carreira dos Beatles com um tal talento e um tal bom humor que se tornou um verdadeiro amigo para mim e para a minha família", adiantou o ex-Beatle na sua página na Internet.

A morte do produtor musical britânico George Martin, aos 90 anos, foi anunciada hoje pela sua família. Depois de ter juntado John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr, o produtor musical da banda ficou conhecido como o "quinto Beatle".

"Desde o dia em que conseguiu o primeiro contrato de gravação para os Beatles até à última vez em que o vi, foi a pessoa mais generosa, inteligente e musical que conheci", escreveu o cantor/compositor, declarando-se "muito triste".

McCartney recordou a decisão de Martin de juntar um quarteto de cordas no single "Yesterday" e a sua diplomacia em conseguir o acordo da banda.

"O mundo perdeu um verdadeiro grande homem que deixou uma marca indestrutível na minha alma e na história da música britânica", adiantou.

Os icónicos estúdios Abbey Road, onde Martin e a banda trabalharam, divulgaram um comunicado exprimindo "sentidas condolências" à família do produtor.

"'Sir' George transformou a gravação de música com o seu talento criativo, inovação e paixão", indicaram, declarando o seu compromisso "em assegurar que o legado visionário" do produtor "viva para sempre no Abbey Road Studios".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.