Palácio da Ajuda não é gratuito no Dia dos Monumentos

A Direção-geral do Património Cultural divulgou, na quinta-feira, que as entradas nos museus públicos e património classificado pela UNESCO serão gratuitas, no Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, com exceção do Palácio Nacional da Ajuda.

No antigo palácio real, em Lisboa, está patente uma exposição da artista Joana Vasconcelos, inaugurada no passado dia 22 de março, que foi já visitada por mais de 20.000 pessoas, segundo dados da organização, e para a qual são pagas as entradas.

Para quinta-feira, estão previstas 490 atividades em todo o território nacional, em 170 concelhos do continente e regiões autónomas, que envolvem 298 entidades públicas e privadas, revelou a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC).

O destaque do dia vai para Coimbra onde se assinalam os 500 anos da Biblioteca Geral da Universidade, realizando-se um seminário com a presença da diretora-geral do Património Cultural, Isabel Cordeiro, da presidente da secção portuguesa do ICOMOS Portugal (Conselho Internacional de Monumentos e Sítios), Ana Paula Amendoeira, e do reitor da Universidade de Coimbra, João Gabriel Silva.

Neste seminário subordinado ao mote do dia "Património da Educação e Identidade", estarão a também presentes a presidente da Comissão Nacional da UNESCO, a embaixadora Ana Martinho, e o edil de Coimbra, João Paulo Barbosa de Melo.

O seminário conta com participações, entre outras, de Joana Antunes, que falará sobre "Santa Sophia: os espaços do saber e a construção identitária da Universidade de Coimbra", Carlos Fiolhais, que abordará o tema "Património mundial: A Universidade de Coimbra e o seu papel na primeira globalização", ou ainda de Victor Mestre e Sofia Aleixo, que falarão sobre "Os novos ambientes de ensino e aprendizagem no Liceu Passos Manuel, em Lisboa".

A cidade terá outras atividades relacionadas com o dia, nomeadamente o minijogo da Glória sobre os monumentos de Coimbra, a realizar na Torre de Almedina, ou a animação da baixa coimbrã, com ranchos folclóricos.

A Marinha Portuguesa também se associa ao dia com a realização de "visitas comentadas" ao Convento das Trinas, em Lisboa, onde se encontram polos museológicos de Oceanografia e Hidrografia, e ainda visitas guiadas ao Aquário Vasco da Gama, no Dafundo, nos arredores Lisboa, e à Cordoaria Nacional, à Biblioteca Central de Marinha e ao Arquivo Histórico de Marinha, na capital.

A Autoridade Marítima Nacional promove visitas guiadas aos faróis da costa continental portuguesa dos Açores e Madeira, nomeadamente os localizados em Montemor, Leça, Aveiro, Cabo Mondego, Penedo da Saudade, perto de São Pedro de Moel, Cabo Carvoeiro, Cabo Espichel, Cabo de São Vicente, Alfanzina, Santa Maria e Vila Real de Santo António, no continente, nos Açores, os de Ferraria, Arnel, Gonçalo Velho, Contendas, Ponta da Barca, Ponta da Ilha, Ponta do Topo e Albarnaz e, na Madeira, o farol da Ponta do Pargo.

A Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), em Lisboa, ao Campo Grande, propõe a realização de dois percursos, orientados pelo arquiteto João Pardal Monteiro e pela diretora da instituição, Maria Inês Cordeiro, respetivamente, com uma visita às diferentes áreas do edifício mais representativas da sua funcionalidade e estética, e "os caminhos dos livros e dos leitores no funcionamento da biblioteca, visitando diversas áreas não públicas", segundo nota da BNP.

Entre os 170 concelhos onde se realizam atividades, a Câmara de Oeiras propõe um programa que se estende a sexta-feira, na freguesia de Barcarena. Na quinta-feira, realiza-se uma visita guiada à estação arqueológica do Castro de Leceia, e o atelier "Qual a história que já existe dentro de nós?", na Fábrica da Pólvora.

Na sexta-feira, às 10:00, o investigador José Meco orienta uma vista guiada à Quinta de N.ª Sr.ª da Conceição e, à tarde, realizam-se visitas guiadas à igreja de São Pedro e à capela de São Sebastião.

Ler mais

Exclusivos