Pablo Neruda terá sido assassinado

Nova biografia do Nobel aponta "intervenção de terceiros" com base em documentos oficiais

O poeta e Nobel da Literatura Pablo Neruda morreu a 23 de setembro de 1973 às dez e meia da noite na Clínica Santa Maria em Santiago do Chile. Durante décadas foi apontada como causa oficial de morte o agravamento do estado de saúde devido a um cancro na próstata. Agora um relatório oficial, do Ministério do Interior do governo do Chile, diz claramente que Neruda foi assassinado. Ou que morreu fruto de intervenção de terceiros.

O texto indica que a morte do poeta não decorreu do cancro de que padecia mas foi "claramente possível e altamente provável da intervenção de terceiros." Segundo refere o processo agora divulgado, no dia da sua morte Neruda recebeu uma injeção ou ingeriu algo que precipitou a sua morte, seis horas e meia depois. Nesse dia o Nobel deveria partir de avião rumo ao México onde provavelmente iria liderar um governo, a partir do exílio, para denunciar a atuação do general Augusto Pinochet. Estes e outros dados foram enviados ao magistrado encarregado de investigar a morte do Nobel, Mario Carroza Espinosa, e são agora tornados públicos na mais recente biografia de Pablo Neruda, da autoria de Mario Amorós, que será publicada para a semana em Espanha e no dia 23 no Chile: Neruda. El príncipe de los poetas.

Ao El Pais o magistrado referiu: "Sempre seguimos a linha de que aconteceu algo estranho nos últimos dias. Neruda tinha cancro mas não estava nem em agonia, nem em fase terminal. Mas a 23 de setembro o seu mau estado de saúde acelerou de repente e ele morreu em seis horas". No entanto, o juiz espera ainda o resultado do teste a uma bactéria encontrada no corpo do poeta. A investigação à morte de Neruda foi aberta em 2011 na sequência de uma denúncia de assassinato do motorista do Nobel. Foi pedida uma exumação do cadáver, que aconteceu em 2013. A investigação levada a cabo em 2013 não detetou agentes ou substâncias estranhas no corpo do poeta. No entanto "isso não significa que não tenha sido envenenado e que outra equipa com outra técnicas pode encontrar vestígios", acredita um médico forense contactado pelo diário espanhol.

Pablo Neruda morreu com 69 anos. Recebeu o Prémio Nobel da Literatura em 1971.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.