Os belos 83 anos de Shirley MacLaine

IN MEMORIAM Mark Pellington

Na última cerimónia dos Óscares, Charlize Theron homenageou Shirley MacLaine falando da sua personagem em O Apartamento (1960), de Billy Wilder. Um papel marcado pela doçura do seu olhar, tal como em Deus Sabe Quanto Amei (1958), ao lado de Frank Sinatra. Neste In Memoriam, contudo, a MacLaine que encontramos é mais próxima da mulher difícil de Laços de Ternura (1983), o filme que lhe valeu o único Óscar

E se ela é verdadeiramente a razão de ser da narrativa caricata, sobre uma mulher obsessiva que quer supervisionar a escrita prévia do seu obituário, não há muito mais que jogue em favor... Aqui tudo é fabricado para o humor e a lágrima confortáveis. Amanda Syefried, a rapariga que escreve obituários, é uma boa companheira de ecrã, mas nada tem mais vitalidade do que o rosto de 83 anos de MacLaine, a trazer nostalgia ao som dos The Kinks.

Classificação: **

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.