Adolfo Luxúria Canibal recorda "pessoa de uma bondade extrema"

Vocalista dos Mão Morta diz que Zé Pedro "era uma autêntica enciclopédia" do rock e "uma pessoa de uma bondade extrema"

O músico e vocalista dos Mão Morta, Adolfo Luxúria Canibal, classificou hoje o guitarrista dos Xutos & Pontapés, Zé Pedro, como "uma pessoa de uma bondade extrema", que nunca se traiu a si próprio.

O guitarrista dos Xutos & Pontapés, Zé Pedro, morreu hoje, em Lisboa, aos 61 anos, disse à Lusa fonte próxima da família.

Em declarações à Lusa, Adolfo Luxúria Canibal declarou que Zé Pedro "era uma figura da música portuguesa, um exemplo".

"O seu percurso com os Xutos, a forma como criou os Xutos, a forma como lutou para que os Xutos tivessem um nome e a forma como, depois de os Xutos se tornarem numa referência da música moderna portuguesa, do rock em Portugal, a forma como lidou bem com a fama sem nunca se trair a si próprio", destacou o músico.

O vocalista realçou que Zé Pedro "era uma autêntica enciclopédia" do rock e "uma pessoa de uma bondade extrema".

"Nunca o ouvi desejar mal a ninguém e [estava] sempre pronto a ajudar. Nesse sentido era muito particular. O Zé Pedro era o Zé Pedro", disse.

Zé Pedro estava doente há vários meses, mas a situação foi sempre mantida de forma discreta pelo grupo, tendo só sido assumida publicamente em novembro, a propósito do concerto de fim de digressão dos Xutos & Pontapés, no Coliseu de Lisboa.

José Pedro Amaro dos Santos Reis nasceu em Lisboa, em 14 de setembro de 1956, numa família de sete irmãos, "com um pai militar, não autoritário, e uma mãe militante-dos-valores-familiares", como recordou num dos capítulos da biografia "Não sou o único" (2007), escrita pela irmã, Helena Reis.

Ler mais

Exclusivos