O que fazer até às 12 badaladas. E um pouco mais...

Filmes, claro, mas também concertos de Ano Novo, de Guimarães a Lisboa, a reposição de "Pedro e Inês" e outros espetáculos e muitas exposições.

Fomos à procura das últimas oportunidades artísticas de 2015 e há muito para fazer até 31 de dezembro. E no primeiro fim de semana de janeiro.

Espetáculos e concertos

O Centro Cultural Vila Flor recebe em casa a Orquestra de Guimarães, sob direção do maestro Vítor Matos, para o concerto de Ano Novo, no Grande Auditório, no sábado, dia 2, às 22.00. O repertório inclui algumas obras icónicas da tradição vienense. Bilhetes: 5 euros.

No primeiro dia do ano, a Orquestra Filarmonia das Beiras junta-se ao músico André Sardet, que completa 20 anos de carreira em 2016, para um concerto de ano novo e Reis, às 18.00 e às 21.30, no Teatro Aveirense. A entrada custa 5 euros. Repete no sábado e domingo.

O Coro Gulbenkian e a Orquestra Divino Sospiro, dirigida por Jorge Matta fecham o ano com o Te Deum de Zelenka e de Georg Friedrich Händel na Igreja de São Roque, em Lisboa, às 17.00.

A soprano Elisabete Matos interpreta temas de Jaques Offenbach, Johann Strauss II, Rudolf Sieczinsky e Franz Lehár no concerto de Ano Novo do Teatro Nacional de São Carlos, no dia 3 de janeiro, às 16.00. Bilhetes entre 15 e 25 euros.

"Fora do Baralho!" é o espetáculo que o ilusionista Mário Daniel apresenta até domingo, dia 3, às 21.30, no Auditório dos Oceanos, no Casino Lisboa (entre 12 e 15 euros).

O Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada, recebe nos dias 29 e 30 de dezembro, às 21.30 o bailado Pedro e Inês, uma coreografia de Olga Roriz para a Companhia Nacional de Bailado, estreada há 12 anos e agora reposta (bilhetes: 13 euros).

"O Lago dos Cisnes"

"O Lago dos Cisnes" apresenta-se no dia 30 de dezembro, às 21.00, no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa, numa interpretação da companhia Russian Classical Ballet. Os bilhetes custam entre 17 e 35 euros.

Pé na Terra, Cabeça no Ar é o espetáculo com a participação do Rancho Folclórico da Fanadia e o ginasta Diogo Rolim que que se pode ver hoje, às 17.00, no Centro Cultural Caldas da Rainha (bilhetes: 5 euros)

A penúltima noite do ano no Musicbox, em Lisboa, é entregue a Dupplo e Nuno Lopes, a partir das 00.00. Entrada: 5 euros.

Cinema

"A Rapariga Dinamarquesa", de Tom Hooper, tem como protagonista o britânico Eddie Redmayne no papel de Lili Elbe (antes Einar Wegener), aquela que se acredita que foi a primeira transexual a ser submetida a uma cirurgia de mudança de sexo nos anos 30. O ator está bem lançado na pré-corrida aos Óscares, repetindo a façanha de há um ano pela sua interpretação de Stephen Hawking. Estreia no dia 31.

"Diário de uma Criada de Quarto", que também estreia no dia 31, é a mais recente obra do realizador francês Benoit Jacquot, sobre uma jovem criada oriunda da província que tem de lidar com os avanços do patrão e a personalidade da sua mulher.

"45 Anos", com Charlotte Rampling e Tom Courtnay, é mais uma das estreias do último dia do ano. Os atores são um casal à beira de festejar o 45.º aniversário de casamento, festa que fica ameaçada quando chega uma carta para o marido.

"Coração de Cão", o documentário musical da artista norte-americana Laurie Anderson, é um filme-ensaio sobre a vida e a morte, narrado pela sua voz, misturando histórias de infância, teorias filosóficas,a relação com a cadela, a morte da mãe ou do companheiro, Lou Reed, em 2013.

"Amor Impossível", a mais recente obra do realizador português António-Pedro Vasconcelos, conta a história de Cristina, uma rapariga que desaparece, e Madalena, que ao longo da investigação se depara com os problemas da sua relação. Com Victoria Guerra, Soraia Chaves e José Mata.

Exposições

"Afinidades Eletivas. Julião Sarmento Colecionador" está no Museu da Eletricidade

"Afinidades Eletivas. Julião Sarmento Colecionador", a exposição que ocupa a nave central do Museu da Eletricidade, em Lisboa, reúne obras da coleção do artista ou, segundo o próprio, "as coisas que foi juntando". Os artistas representados vão de Andy Warhol a Rui Chafes, passando por Cindy Sherman. Pode ser vista até 3 de janeiro. Entrada livre.

Mitos & Monstros pretende dar vida ao desconhecido, e às suas criaturas. É uma parceria com o Museu de História Natural de Londres e pode ser vista no Palácio da Bolsa, no Porto, até 4 de janeiro, das 09.00 às 18.00 (as entradas custam entre 3 e 12 euros).

"Costa Pinheiro: o Pintor Ele-Mesmo" é uma retrospetiva de 70 obras do pintor do KWY que morreu no dia 9 de outubro. Pode ser vista na Galeria de São Roque até ao dia 31, das 10.00 às 19.00.

O Centro de Artes e Espetáculos da Figueira da Foz mostra, até 3 de janeiro, as exposições 5D, a pintura de Fernando Direito em É de Caras e Outras Coisas, e o trabalho de Mário Silva, (re)Nascimento. Entrada livre.

As réplicas (que restam...) dos quadros do Museu Nacional de Arte Antiga que estão no Largo de São Carlos, no âmbito da exposição Comin" Out, podem ser vistas até 31 de dezembro. Segue-se um leilão em que cada cópia terá uma base de licitação de 100 euros.

"Dejá Vu. Repetição e Diferença", no Museu de Serralves, no Porto, junta livros e edições de artista da coleção da Fundação (as mais antigas dos anos 60) ao lado de formatos da comunicação social, denunciando as coincidências entre ambos. A segunda parte da exposição mostra o reverso: como designers e publicitários reeditaram a estética da arte contemporânea a seu favor. Guy Schraenen é o comissário. O museu abre de terça a domingo e fecha às 16.00 no dia 31 de dezembro. Bilhete: 8,5 euros (gratuito aos domingos entre as 10.00 e as 13.00).

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.