O Mecanismo e Netflix alvos de boicote no Brasil

Esquerda está indignada com série inspirada na operação Lava-Jato. Realizador e Dilma Rousseff trocam acusações

"A Netflix não pode fazer campanha política, vou dizer isso às lideranças políticas internacionais que encontrar. A direção da Netflix não sabe onde se está metendo", acusou Dilma Rousseff, a propósito da estreia da série O Mecanismo, inspirada na Operação Lava-Jato. "Se Dilma soubesse ler, este problema não existiria", respondeu o realizador José Padilha referindo-se ao alerta no início de cada episódio de que o programa "é uma obra de ficção livremente inspirada em fatos reais". A controvérsia, entretanto, levou ao cancelamento da assinatura da Netflix por apoiantes do Partido dos Trabalhadores (PT) e da esquerda brasileira em geral.

Em causa uma cena em que o personagem João Higino, de barba grisalha e com o estatuto de antigo presidente do Brasil, diz "precisamos estancar a sangria". A Higino, facilmente identificável como Lula da Silva, do PT, é atribuída uma frase proferida na realidade por Romero Jucá, presidente do Movimento da Democracia Brasileira (MDB) e um dos principais responsáveis pelo impeachment de Dilma e consequente subida ao poder de Michel Temer, também do MDB. Jucá defendeu, ao ser gravado por uma testemunha da Lava-Jato sem o saber, que só Temer poderia deter o avanço da operação policial.

"Padilha incorre na distorção da realidade e na propagação de mentiras de toda a sorte para me atacar a mim e ao presidente Lula, a série é dissimulada e inventa factos, ele próprio tornou-se criador de notícias falsas", continuou Dilma. Para Padilha, "essa discussão é como se o sujeito entrasse numa casa, violasse a mulher, amarrasse o filho e roubasse um isqueiro, a esquerda quer discutir o isqueiro, porque se ela olhar para o macro não vai ter o que falar". "Jucá e Lula não patentearam expressões idiomáticas, a língua portuguesa ainda não foi roubada, ainda", prosseguiu o realizador, para quem "Lula e Temer foram sócios de um esquema com empreiteiras".

Dilma criticou ainda o facto de a série dar a entender que o Escândalo do Banestado, crime financeiro que desviou 19 mil milhões de dólares do Brasil para os Estados Unidos, ocorreu em 2003, durante o governo PT. "Não", regista Dilma, "não começou em 2003, começou em 1996 em pleno governo de Fernando Henrique Cardoso", antecessor de Lula e militante do rival Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Padilha afirma que a sua irritação perante a ofensiva da esquerda contra a série se deve ao facto "de o PT não ter rompido com o mecanismo que marca a política brasileira quando chegou ao poder". "É a lógica estruturante do sistema político brasileiro, no governo federal, em cada um dos estados, em cada um dos municípios, seja governo PSDB, MDB ou PT", concluiu.

A primeira temporada da série O Mecanismo, criada por Padilha e com Selton Mello no papel principal tem oito episódios e está disponível na Netflix desde sexta-feira.

Ler mais

Exclusivos