O desperdício de um jovem ator

"Homem-Aranha:Regresso a Casa", de Jon Watts

É uma evidência geral que a criatividade já não acompanha a multiplicação das sagas de super-heróis. Nem mesmo com a mudança de atores.

Homem-Aranha: Regresso a Casa chega-nos como um exemplo bem ilustrativo disso mesmo, pisando uma fórmula narrativa (que já é mais uma questão técnica do que outra coisa) e desaproveitando o novo ator, Tom Holland, com a maior das puerilidades.

Neste filme, Peter Parker é um rapaz de 15 anos que anda a treinar o futuro como super-herói, lançando teias aqui e ali, entre as aulas e os vislumbres da rapariga por quem está apaixonado.

Pelo meio aparece um vilão mais sofisticado, Vulture (Michael Keaton), que lhe dará a oportunidade de mostrar do que é capaz... E Parker, ou melhor, Tom Holland seria bem capaz de nos mostrar o seu verdadeiro brilho se lhe tivessem escrito algumas coisas inteligentes para dizer.

Classificação: * (medíocre)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.