O Cine Fiesta volta a mostrar cinema espanhol em Lisboa

Entre 27 e 30 de outubro, a mostra exibirá no UCI Cinemas alguns dos filmes que se destacaram em 2016 no panorama do cinema espanhol

O cinema espanhol regressa a Lisboa entre 27 e 30 de outubro, da próxima quinta-feira a domingo. Nas salas UCI Cinema - El Corte Inglés, em Lisboa, o Cine Fiesta, iniciativa do Instituto de Cinema e das Artes Visuais, que pertence ao ministério da Cultura espanhol, em colaboração com a Cinemundo, mostrará alguns dos filmes que se destacaram em 2016 no panorama do cinema espanhol.

Sete Minutos Depois da Meia-Noite, de Juan Antonio Bayona com Felicity Jones, Liam Neeson e Sigourney Weaver, estreia-se nas salas no dia 27, tal como Toro, de Kike Maíllo com Mario Casas, Luis Tosar, José Sacristán e José Manuel Poga, no dia 28, Corpo de Elite, de Joaquín Mazón, projetado no dia 29, e, no dia 30, Um Namoro à Espanhola - Aventura na Catalunha uma comédia de Emilio Martínez Lázaro.

A organização da mostra de cinema avançou já que o Cine Fiesta 2016 "contará com a presença de nomes destacados do panorama cinematográfico espanhol", embora não tenha ainda revelado quais serão esses nomes.

Os bilhetes custam 4,5 euros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.