O carro do rival do joker

O fã do Joker que fica pronto em meia-hora

Fábio Mota aproximou-se do Batmobile, uma viatura bem característica dos gadgets que o Batman tem à sua disposição. Este é o mais recente, utilizado no filme que estreou recentemente, a Liga da Justiça, sobre o qual diz: "Este é mais realista quando comparado com os anteriores, mis parece um tanque de guerra".

Nada que obste a que o Joker queira tirar um fotografia ao seu lado. Porque esta roupa? "O Joker sempre foi um vilão que me causou interesse e todos gostam dele por ter uma origem desconhecida e lutar por causas com que as pessoas se identificam", explica.

Considera que é uma personagem fácil de compor e já é o segundo ano que vem com esta fantasia: "Em meia hora fica pronta." De vez em quando alterna com a farda do Flash. O Comic Con tem neste Joker um visitante constante: "Venho desde a primeira edição. Gostei, e a partir daí voltei sempre."

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.