Nu de Modigliani foi vendido por 160 milhões de euros. É um recorde

É o quadro de um italiano mais caro de sempre. Foi a leilão na segunda-feira e vai para a China.

O comprador chinês, não identificado, pagou 170,4 milhões de dólares (158 milhões de euros) por "Nu Couché" (1917-1918), o segundo valor mais alto de sempre conseguido num leilão.

O recorde é detido por "Les Femmes d' Alger", de Pablo Picasso, vendido em maio pela Christie's por 166 milhões de euros.

Meia dúzia de interessados fizeram as suas propostas durante os nove minutos que durou a venda do quadro, em Nova Iorque. As licitações começaram nos 75 milhões de dólares. A Christie's fica com 12% dos 158 milhões de euros finais, de acordo a Reuters. A leiloeira acreditava que o quadro podia chegar aos 100 milhões de dólares.

Quando foi mostrado pela primeira vez pelo pintor, em Paris, houve manifestações à porta da galeria. A polícia encerrou a exposição.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?