Morreu o escultor José Rodrigues, autor do cubo da Praça da Ribeira

Um dos fundadores da Cooperativa Cultural A Árvore, José Rodrigues morreu esta manhã, aos 79 anos. A Câmara Municipal do Porto decretou dois dias de luto

O artista plástico, que desenvolveu a maior parte da sua carreira na cidade do Porto, estava internado no Hospital da CUF daquela cidade, tendo morrido este sábado, por volta das 9.00 da manhã.

O Cubo, na Praça da Ribeira, é uma das suas obras mais conhecidas

José Rodrigues nasceu em Luanda, Angola, a 28 de outubro de 1936. Entre outras obras, o artista, que morreu aos 79 anos, é autor do cubo da Praça da Ribeira e do Monumento ao Empresário na Avenida da Boavista, na cidade do Porto, onde realizou os seus estudos artísticos na Escola Superior de Belas-Artes, formando-se em escultura.

Com Armando Alves, Ângelo de Sousa e Jorge Pinheiro constituiu, em 1968, o grupo Os Quatro Vintes. Foi um dos fundadores da Cooperativa Cultural Árvore, no Porto, e um dos promotores da Bienal de Vila Nova de Cerveira. É da sua autoria o gigante cervo de ferro que há trinta anos marca a paisagem nas imediações de Vila Nova de Cerveira.

Desde 1964 que José Rodrigues expôs individualmente em cidades como o Porto, Amarante, Alfândega da Fé, Vila Nova de Cerveira, Cascais, Tóquio, Paris e Macau.

Além da escultura, dedicou-se a outras expressões artísticas, tendo feito ilustração para livros de escritores e poetas, como Eugénio de Andrade, Jorge de Sena, Vasco Graça Moura e Albano Martins.

O presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, decidiu decretar dois dias de luto municipal pela morte do escultor e artista plástico José Rodrigues.

Segundo a mesma fonte, a Câmara Municipal do Porto iniciou este mês obras de restauro do Monumento ao Empresário, na Avenida da Boavista, da autoria de José Rodrigues, estando prevista a sua conclusão no dia 28 de outubro, data de nascimento do escultor.

No mesmo dia, será feita uma homenagem a José Rodrigues que estava já a ser preparada pela autarquia.

O funeral do escultor está marcado para domingo, às 11:00, no Tanatório de Matosinhos.

Segundo fonte da Fundação José Rodrigues, o corpo estará hoje em câmara ardente a partir das 15:00, também no Tanatório de Matosinhos.

Ainda este mês, haverá uma exposição na Fundação José Rodrigues, também já prevista, comissariada por Adriana Aguiar-Branco, deputada municipal e administradora das Águas do Porto.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lembrou o legado de "brilhantismo, diversidade e dinamismo" que o escultor e artista plástico José Rodrigues, hoje falecido, deixou ao país.

Em mensagem de condolências enviada à família de José Rodrigues, e divulgada na página Internet da Presidência da República, o chefe de Estado lembra que o escultor "tornou-se um dos artistas mais conhecidos da sua geração, e um nome emblemático do Porto, com obras tão marcantes como o Cubo da Praça da Ribeira ou as ilustrações dos livros de Eugénio de Andrade".

E prossegue: "Mas é importante lembrar também o seu notável trabalho como dinamizador cultural, da Cooperativa Árvore, de qual foi fundador, ao seu ateliê que transformou em fundação, passando pela Bienal de Vila Nova de Cerveira".

Por tudo isto e mais, "o brilhantismo, a diversidade e o dinamismo" constituem o "legado" de José Rodrigues, assinala Marcelo Rebelo de Sousa na nota de condolências.

No Porto, José Rodrigues adquiriu e recuperou a antiga Fábrica Social, espaço que usava como ateliê e onde instalou a fundação com o seu nome, dotada de salas de exposição e um auditório.

Criou a Fundação Escultor José Rodrigues, em cuja página de Facebook lia-se neste sábado: "A Fundação Escultor José Rodrigues vem por este meio informar que o Mestre José Rodrigues partiu na sua última viagem..."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.