Morreu o diretor técnico do Teatro Nacional de S. Carlos, Francisco Vicente

Faleceu aos 64 anos, no Hospital Garcia da Horta, em Almada. O velório terá lugar nesta terça-feira a partir das 18.00 no Salão Nobre do Teatro

O diretor técnico do Teatro Nacional de São Carlos (TNSC), Francisco Vicente, de 64 anos, morreu terça-feira de manhã, no Hospital Garcia de Orta, em Almada, informou o teatro.

"Com um profundo saber de todos os procedimentos técnicos, Mestre Francisco Vicente trabalhou com grandes cenógrafos e encenadores de renomada craveira nacional e internacional em incontáveis produções", afirma, na nota de pesar, o presidente do conselho de administração do Organismo de Produção Artística (Opart), que tutela o teatro lírico lisboeta.

Carlos Vargas enumera de seguida encenadores como Pier Luigi Pizzi, Emilio Sagi, Graham Vick, João Lourenço e Luís Miguel Cintra, "alguns dos nomes consagrados com quem Mestre Francisco Vicente repartiu, sem distinção, o conhecimento e excelência da sua perícia".

"Sempre que lhe era permitido, e longe das exigências de uma atividade sempre rigorosa, gostava de repousar no seu barco, pescando na solidão apaziguadora do mar. Mas será aqui, nesta casa hoje enlutada, que o nome de Mestre Francisco Vicente se inscreverá para sempre na história do TNSC", escreve o presidente do Opart, Carlos Vargas.

Segundo o responsável, "Mestre Francisco Vicente será para sempre relembrado por todos aqueles que com ele conviveram, trabalharam e compartilharam a sua camaradagem, determinação, força, desafios e realizações".

Francisco Vicente era natural de Vila Nova de Mil Fontes, no concelho de Odemira, distrito de Beja, e ingressou no TNSC na qualidade de carpinteiro, em fevereiro de 1971.

Até se tornar diretor técnico, em 1995, e um dos principais especialistas em espetáculos de ópera, em Portugal, Francisco Vicente "seguiu uma carreira exemplar, sempre marcada por uma total entrega, dedicação e elevado profissionalismo", escreve Carlos Vargas.

O velório terá lugar nesta terça-feira às 20.00 no Salão Nobre do TNSC. Amanhã recomeça às 9.00 até à celebração litúrgica, às 10.00, que será seguida de uma homenagem no palco às 11.30. O corpo seguirá para Vila Nova de Milfontes às 12.30, onde o funeral terá lugar às 16.00.

[Notícia atualizada às 16.15 com as exéquias de Francisco Vicente]

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.