Morreu o diretor técnico do Teatro Nacional de S. Carlos, Francisco Vicente

Faleceu aos 64 anos, no Hospital Garcia da Horta, em Almada. O velório terá lugar nesta terça-feira a partir das 18.00 no Salão Nobre do Teatro

O diretor técnico do Teatro Nacional de São Carlos (TNSC), Francisco Vicente, de 64 anos, morreu terça-feira de manhã, no Hospital Garcia de Orta, em Almada, informou o teatro.

"Com um profundo saber de todos os procedimentos técnicos, Mestre Francisco Vicente trabalhou com grandes cenógrafos e encenadores de renomada craveira nacional e internacional em incontáveis produções", afirma, na nota de pesar, o presidente do conselho de administração do Organismo de Produção Artística (Opart), que tutela o teatro lírico lisboeta.

Carlos Vargas enumera de seguida encenadores como Pier Luigi Pizzi, Emilio Sagi, Graham Vick, João Lourenço e Luís Miguel Cintra, "alguns dos nomes consagrados com quem Mestre Francisco Vicente repartiu, sem distinção, o conhecimento e excelência da sua perícia".

"Sempre que lhe era permitido, e longe das exigências de uma atividade sempre rigorosa, gostava de repousar no seu barco, pescando na solidão apaziguadora do mar. Mas será aqui, nesta casa hoje enlutada, que o nome de Mestre Francisco Vicente se inscreverá para sempre na história do TNSC", escreve o presidente do Opart, Carlos Vargas.

Segundo o responsável, "Mestre Francisco Vicente será para sempre relembrado por todos aqueles que com ele conviveram, trabalharam e compartilharam a sua camaradagem, determinação, força, desafios e realizações".

Francisco Vicente era natural de Vila Nova de Mil Fontes, no concelho de Odemira, distrito de Beja, e ingressou no TNSC na qualidade de carpinteiro, em fevereiro de 1971.

Até se tornar diretor técnico, em 1995, e um dos principais especialistas em espetáculos de ópera, em Portugal, Francisco Vicente "seguiu uma carreira exemplar, sempre marcada por uma total entrega, dedicação e elevado profissionalismo", escreve Carlos Vargas.

O velório terá lugar nesta terça-feira às 20.00 no Salão Nobre do TNSC. Amanhã recomeça às 9.00 até à celebração litúrgica, às 10.00, que será seguida de uma homenagem no palco às 11.30. O corpo seguirá para Vila Nova de Milfontes às 12.30, onde o funeral terá lugar às 16.00.

[Notícia atualizada às 16.15 com as exéquias de Francisco Vicente]

Ler mais

Exclusivos

Premium

Catarina Carvalho

As miúdas têm notas melhores. E depois, o que acontece?

Nos rankings das escolas há um número que chama especialmente a atenção: as raparigas são melhores do que os rapazes em 13 das 16 disciplinas avaliadas. Ou seja, não há nenhum problema com as raparigas. O que é um alívio - porque a avaliar pelo percurso de vida das mulheres portuguesas, poder-se-ia pensar que sim, elas têm um problema. Apenas 7% atingem lugares de topo, executivos. Apenas 12% estão em conselhos de administração de empresas cotadas em bolsa - o número cresce para uns míseros 14% em empresas do PSI20. Apenas 7,5% das presidências de câmara são mulheres.

Premium

Adolfo Mesquita Nunes

Quando não podemos usar o argumento das trincheiras

A discussão pública das questões fraturantes (uso a expressão por comodidade; noutra oportunidade explicarei porque me parece equívoca) tende não só a ser apresentada como uma questão de progresso, como se de um lado estivesse o futuro e do outro o passado, mas também como uma questão de civilização, de ética, como se de um lado estivesse a razão e do outro a degenerescência, de tal forma que elas são analisadas quase em pacote, como se fosse inevitável ser a favor ou contra todas de uma vez. Nesse sentido, na discussão pública, elas aparecem como questões de fácil tomada de posição, por mais complexo que seja o assunto: em questões éticas, civilizacionais, quem pode ter dúvidas? Os termos dessa discussão vão ao ponto de se fazer juízos de valor sobre quem está do outro lado, ou sobre as pessoas com quem nos damos: como pode alguém dar-se com pessoas que não defendem aquilo, ou que estão contra isto? Isto vale para os dois lados e eu sou testemunha delas em várias ocasiões.