Ministro da Cultura do Brasil faz discurso sob vaias contra vencedor do Prémio Camões

Entrega do prémio em Brasília a Raduan Nassar foi tensa. O escritor criticou o atual governo e recebeu resposta do ministro Roberto Freire. Plateia gritou "fora Temer"

A cerimónia de entrega ontem em Brasília do Prémio Camões, galardão atribuído por Portugal e Brasil desde 1988, ao escritor Raduan Nassar foi marcada pelos discursos contundentes tanto do homenageado quanto do ministro da Cultura Roberto Freire, anfitrião do evento, que o rebateu. A resposta de Freire motivou protestos da plateia e gritos de "fora Temer".

Nassar, autor de "Lavoura Arcaica", entre outras obras, criticou no seu discurso a recente nomeação para o Supremo Tribunal Federal do ex-ministro da Justiça Alexandre de Moraes, a quem acusou de mandar invadir as escolas ocupadas em recente manifestação de estudantes e de prender o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto. "Esta figura exótica é agora nomeada ao Supremo", disse Nassar.

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, o escritor, conhecido pela opinião contrária ao impeachment, sublinhou ainda que a ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff "é uma mulher íntegra" e condenou a política "de um governo repressor e atrelado ao neoliberalismo com sua escandalosa concentração de riqueza". Terminou com "o golpe estava consumado, não há como ficar calado".

Contrariando o protocolo, coube ao Ministério da Cultura a última palavra. O ministro Roberto Freire respondeu que Nassar não deveria ter aceite o prémio (no valor de 100 mil euros) e classificou o discurso do escritor de "histriónico". Da plateia, ainda segundo a Folha, ouviram-se vaias ao ministro e um coro "Fora Temer". À saída, Freire chamou de "idiota" um professor da Universidade de São Paulo que havia afirmado que o governante não estava à altura do evento". A presidente da Biblioteca Nacional do Brasil disse ao embaixador de Portugal Jorge Cabral "sentir vergonha do ocorrido".

Em nota posterior, o Ministério da Cultura acusou o Partido dos Trabalhadores de tentar partidarizar o evento interrompendo o discurso do ministro.

Raduan Nassar, de 81 anos, filho de imigrantes libaneses, apesar de ter apenas três livros publicados é comparado a autores como Guimarães Rosa e Clarice Lispector. O ministro Roberto Freire tem 74 anos, é do Partido Popular Socialista, da base de apoio do governo liderado por Michel Temer, e assumiu o cargo em Novembro.

Ler mais

Exclusivos