Mestrado da Universidade Católica entre os melhores do mundo

Eduniversal elegeu mestrado em Estudos de Cultura da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa entre os melhores do mundo.

Integrado na rede The Lisbon Consortium, uma parceira entre a Universidade Católica Portuguesa, a Câmara Municipal de Lisboa e diversas instituições culturais (como a Fundação Calouste Gulbenkian, a Culturgest, a Cinemateca Portuguesa, o Museu Nacional do Teatro, a Fundação Oriente e o Centro Nacional de Cultura), o mestrado em Estudos de Cultura da Faculdade de Ciências Humanas da universidade foi eleito o terceiro melhor do mundo pela Eduniversal, que anualmente distingue os melhores mestrado a nível mundial.

Em comunicado oficial a vice-reitora da Universidade Católica Portuguesa, e também diretora da rede The Lisbon Consortium, Isabel Capeloa Gil, refere: "Trata-se de uma proposta inovadora e arrojada a nível internacional pela forma como promove uma efetiva colaboração entre a universidade e as instituições culturais, dando visibilidade ao setor cultural como área chave para a criação de valor em Lisboa. A posição que alcançámos é o reconhecimento de um projeto de equipa estratégico para a Faculdade e para a Universidade, mas também a demonstração da capacidade para competirmos ao mais alto nível internacional."

Este é também o único curso português que se encontra no ranking da Eduniversal, liderado pela Bocconi School of Management de Milão e pela Universidade Erasmo de Roterdão. Com esta distinção a Universidade Católica Portuguesa ultrapassou instituições bastante reconhecidas como a London School of Economics ou a HEC Paris.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.