Meo Arena melhora a qualidade do som sem interromper os espetáculos

Este "é um primeiro passo de uma melhoria contínua nas condições acústicas da sala", disse o administrador executivo

A Meo Arena, a maior sala de espetáculos do país, vai melhorar a qualidade do som nos seus espetáculos através de uma melhoria gradual da acústica. Estes trabalhos começaram na semana passada e deverão durar cerca de dois meses, mas os espetáculos no pavilhão não vão ser interrompidos.

A intervenção vai focar-se, numa primeira fase, numa diminuição do tempo de reverberação do som, melhorando a qualidade sonora para os utilizadores do espaço. Espera-se que a redução da reverberação atinja os 50% após testes em ambiente real.

O administrador executivo da Arena Atlântico, proprietária da Meo Arena, disse em comunicado que este "é um primeiro passo de uma melhoria contínua que se pretende implementar nas condições acústicas da sala". Jorge Vinha da Silva explicou ainda que o projeto é desenvolvido com know-how exclusivamente português.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.