Mark Ronson lembra o lado "soul" de George Michael

O músico de "Uptown Funk" diz que tem uma dívida imensa para com o cantor de "Everything She Wants".

"Mais do que um fenómeno da pop global, George Michael era um dos grandes da soul britânica. Muitos nós têm para com ele uma dívida incomensurável", escreveu na sua conta de Twitter o músico britânico Mark Ronson, responsável pelo sucesso Uptown Funk, com a participação de Bruno Mars.

Ronson reagiu com uma série de tweets à notícia da morte de George Michael, esta noite, com 53 anos. O músico, atualmente com 41 anos, lembra-se de ter comprado "e venerado" Listen Without Prejudice, (o disco lançado em 1990) quando tinha apenas 15 anos, uma música que o conduziu até Stevie Wonder. "Que tipo de génio brilhante e destroçado escreve isto aos 26 anos?", pergunta, remetendo para o tema Praying for Time:

Mark Ronson recorda ainda o tema Everything She Wants, sublinhando que George Michael tinha apenas 20 anos quando escreveu este tema, lançado em 1984, e que foi uma das canções que o fez querer ser músico:

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os aspirantes a populistas

O medo do populismo é tão grande que, hoje em dia, qualquer frase, ato ou omissão rapidamente são associados a este bicho-papão. E é, de facto, um bicho-papão, mas nem tudo ou todos aqueles a quem chamamos de populistas o são de facto. Pelo menos, na verdadeira aceção da palavra. Na semana em que celebramos 45 anos de democracia em Portugal, talvez seja importante separarmos o trigo do joio. E percebermos que há políticos com quem podemos concordar mais ou menos e outros que não passam de reles cópias dos principais populistas mundiais, que, num fenómeno de mimetismo - e de muito oportunismo -, procuram ocupar um espaço que acreditam estar vago entre o eleitorado português.