Marcelo Rebelo de Sousa lamenta a morte de Zé Pedro

Presidente da República e ministro da Cultura destacam o papel de Zé Pedro na fundação dos Xutos & Pontapés

“Manifesto o meu pesar a toda a família e amigos do Zé Pedro, como era assim afetuosamente tratado por todos os portugueses o guitarrista dos Xutos & Pontapés", pode ler-se na nota de pesar assinada por Marcelo rebelo de Sousa publicada no site da Presidência da República.

"Os seus primeiros passos na música coincidiram com o despertar do país para o movimento punk, tendo mais tarde fundado uma das maiores bandas de rock de Portugal, e sobretudo uma das que mais tempo sobreviveu e acompanhou várias gerações. Era um guerreiro da alegria, da vontade de viver, de superar dificuldades, de nunca desistir. Chegou cedo demais o descanso deste guerreiro, que certamente não será esquecido por tantos e tantos amigos que deixou", refere a mesma nota.

O ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, sublinha que "o seu entusiasmo, carisma e empatia deixaram uma marca indelével no panorama musical português, com músicas que acompanharam várias gerações, que o admiram com reconhecida ternura". "Dotado de um sentido musical notável, a música foi o seu sonho desde cedo e com ela conseguiu transformar o universo do rock português, a par da vida de muitos milhares de pessoas. Desde os ensaios na garagem de casa do seu avô, ainda adolescente, até aos dias de hoje, em grandes palcos portugueses e estrangeiros, o músico teve uma vida intensa e uma brilhante carreira ao longo de quatro décadas", refere o governante na nota de pesar enviada aos meios de comunicação social.

"Zé Pedro, que dizia ter sempre as mãos ocupadas com a guitarra, deixa-nos canções, como o Ai a minha vida, À Minha Maneira ou Contentores, que inspiram também um retrato especial do país e de um certo modo de ser português", refere ainda Luís Castro Mendes, lembrando ainda que "contribuiu de forma decisiva e inovadora para a história da música eletrónica em Portugal e para o sucesso continuado de uma das mais prestigiadas bandas rock nacionais".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".