Mais de 2 milhões de visitas aos monumentos de Sintra

Os monumentos sob gestão da Parques de Sintra registaram 2 233 594 milhões de visitas em 2015, uma subida de 15,85% em relação ao ano anterior.

O Parque e o Palácio da Pena foram o monumento mais visitado entre todos os equipamentos sob gestão da Parques de Sintra. Ultrapassou pela primeira vez o milhão visitas, de acordo com números da empresa. Volta a ser o monumento mais visitado do país, com uma subida de 21,85%, em relação a 2014. O Mosteiro dos Jerónimos, o segundo mais visitado, não chegou ao milhão.

Os números dos monumentos:

Parque e Palácio Nacional da Pena 1.082.736

Palácio Nacional de Sintra 496.187

Castelo dos Mouros 351.037

Palácio Nacional de Queluz 136.369

Parque e Palácio de Monserrate 107.390

Convento dos Capuchos 32.955

Chalet da Condessa d"Edla 21.656

Picadeiro Henrique Calado 2.993

Quintinha de Monserrate 2.271

Estrangeiros continuam a ser a maioria

Entre os visitantes, os estrangeiros continuam a ser maioria -- 87,35% contra 12,65% de portugueses, ainda de acordo com a empresa. Por países, o Reino Unido lidera com 19,25%. Seguem-se a França (13,24%), Portugal (12,65%) e Espanha (11,43%).

Agosto continua a ser o mês que regista maior número de visitantes. Janeiro e fevereiro são os meses mais calmos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?