Joe Berardo lamenta saída de Francisco José Viegas

O empresário Joe Berardo diz que, apesar das divergências que teve com o secretário de Estado da Cultura, a sua saída do Governo fará "muita falta à comunidade cultural" nacional.

"É com muita tristeza que vejo a saída do secretário de Estado da Cultura. Pois, embora tivéssemos opiniões diversas, em algumas matérias, é uma pessoa muito válida para a cultura nacional", disse o colecionador à agência Lusa.

"Tenho uma relação de há muitos anos com ele [Francisco José Viegas], desde a altura em que trabalhou para mim, como diretor de um dos nossos jornais", acrescentou.

Para Joe Berardo, "a sua saída irá fazer muita falta à comunidade cultural, pois é, sem dúvida, um homem intelectualmente sábio e reconhecido, internacionalmente, no campo das letras".

"Espero que a sua saúde se restabeleça, rapidamente, pois ainda tem muito para dar à cultura e, especialmente, à literatura", concluiu.

O secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, vai abandonar o Governo no final do mês, por motivos de saúde, confirmou quarta-feira à agência Lusa o seu adjunto para a comunicação, João Villalobos.

Fonte oficial do Governo adiantou que o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, aceitou o pedido de demissão e que o nome do substituto de Francisco José Viegas "será divulgado oportunamente".

Francisco José Viegas esteve internado no início da semana passada, no Hospital da Boavista, no Porto, para observação durante 48 horas, depois de um "episódio de hipertensão", ocorrido na apresentação do projeto Balcão+Cultura.

Em agosto, Francisco José Viegas foi entrevistado pelo jornal francês Le Monde, como "escritor e não secretário de Estado da Cultura", tendo então confessado que cometera o "erro de aceitar um cargo político", do qual não queria falar: "Mas não vamos falar disso, pois não?", acrescentou então, ao vespertino francês.

Em março deste ano, o empresário madeirense Joe Berardo admitiu existirem várias divergências com o secretário de Estado da Cultura, acusando Francisco José Viegas de ter "uma questão pessoal" contra ele.

Nessa altura declarou que, se este continuasse no cargo ate 2016, a cultura em Portugal "desaparecia toda".

"O homem [Francisco José Viegas] já trabalhou para mim, ele era diretor da Gazeta dos Desportos, e eu acho que ele não gosta de mim, pronto, paciência", disse então o comendador.

O colecionador de arte reagia assim às declarações do secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, no Parlamento, onde defendera o fim das entradas gratuitas no Museu Coleção Berardo, instalado num dos módulos do Centro Cultural de Belém (CCB) desde 2007.

Exclusivos