Jazz no meio das escadas regressa a Coimbra

Programação do Quebrajazz.Fest aposta na juventude e no valor dos músicos portugueses.

A sexta edição do Quebrajazz.Fest arranca na sexta-feira com a formação 5TETO e termina no dia 2 de setembro com um conjunto criado para a ocasião, o Quebra Ensamble. Pela qualidade da programação e pela originalidade do local em que se desenrola, o festival ultrapassa cada vez mais os limites de Coimbra.

É nas Escadas do Quebra Costas, em plena zona histórica da cidade, que público e músicos se encontram às sextas e sábados a partir deste fim de semana. "O que ali existe é a magia do espaço. Aquela magia em que, de um momento para o outro, de repente explode. Todos os grupos surpreendem o próprio público que os conhece", explica Paulo Bandeira, programador do evento, que conta a experiência que viveu com o pianista Mário Laginha. "Já conheço o trio dele há anos. Na primeira vez que foi tocar, olhou para as escadas, olhou para as esplanadas, vira-se para o Bernardo Moreira e pergunta: "Onde é que a gente vai tocar?" Respondi e ele, muito preocupado, olhou para o Bernardo, que lhe disse "Espera para ver"." A frase do contrabaixista revelou-se tão acertada quanto concisa: "Quando saímos do jantar, o Mário não queria acreditar, queríamos passar pela multidão e não conseguíamos. Ele estava maluco. Nunca vi o Mário tocar com tanta energia e tão bem-disposto." De tal forma que Laginha voltou nos dois anos seguintes.

Neste ano a programação aponta para a juventude. "Há uma grande aposta nos jovens, cada vez temos mais jovens músicos fabulosos", comenta Paulo Bandeira. O programador que, como baterista, vai marcar presença em quatro formações diversas (5TETO, Zzaj Trio, CBF Trio e Quebra Ensamble) - em parte, explica, por contenção de custos.

A sexta edição do Quebrajazz.Fest, além da aposta nos valores emergentes, é também o da afirmação dos músicos portugueses, "embora haja músicos portugueses como líderes de grupos com músicos estrangeiros", ressalva. "Temos nível e qualidade mundial em todos os aspetos. Não vamos comprometer a qualidade com esta programação."

Os concertos, de entrada livre, iniciam às 22.30 e têm o seguinte alinhamento: 5TETO (sexta e sábado); Carlos Barretto com o trio Lokomotiv (dia 30) e com o Zzaj Trio (1 de julho); Gonçalo Leonardo Quarteto (7 e 8 de julho); Marta Hugon e o espetáculo Bittersweet (14 e 15 de julho); CBF Trio (21 e 22 de julho); Quinteto Luís Cunha (28 e 29 de julho); Maria João/OGRE (4 e 5 de agosto); Amplectors (11 e 12 de agosto); Círculo (18 e 19 de agosto); Trio João Barradas (25 e 26 de agosto); Quebra Ensamble (1 e 2 de setembro).

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.