Isabela Figueiredo partilha as suas memórias coloniais

Leitura encenada do "Caderno de Memórias Coloniais" dura mais de três horas.

A atriz Beatriz Batarda faz uma leitura encenada completa da obra Caderno de Memórias Coloniais, de Isabela Figueiredo. A autora, que é jornalista e escritora , também intervém na leitura, trazendo objetos, livros e fotografias que ilustram essas memórias.

Tudo acontece amanhã, às 17.00, no Padraão dos Descobrimentos, em Lisboa, no âmbito da exposição Retornar - Traços de Memória inaugurado em novembro pela EGEAC.

Ao longo de mais de três horas, o público é convidado a entrar no cenário das antigas colónias portuguesas, em Maputo, através das palavras, por vezes bruscas, de uma adolescente que viveu o período conturbado do fim do Império colonial português, ao lado do pai, personificação do colonialismo. O livro foi editado em 2009 e é um dos testemunhos mais marcantes do colonialismo português.

A entrada é gratuita mas está sujeita a reserva prévia para info@padraodosdescobrimentos.pt ou pelo telefone 213 931 950.