Instituto Camões com "casa aberta interativa"

Novo portal de serviços procura alargar públicos da instituição e oferecer mais informação a quem quer estar próximo da realidade do país.

O Instituto Camões apresentou hoje o novo portal de serviços, já disponível online. Segundo a presidente da instituição, esta renovada ferramenta permite "melhor comunicação e mais comunicação." Ana Paula Laborinho destacou a linguagem simples e inovadora com que o Instituto Camões agora se apresenta ao mundo.

Com o novo portal de serviços o Instituto Camões quer aumentar o número de visitantes virtuais e reforçar a aposta na comunicação digital: atualmente tem mais de 99 mil seguidores no Twitter e 72 mil no Facebook

Para além da imagem gráfica, o portal aposta em cursos à distância, na atualidade e na informação cultural externa "mais próxima dos que querem conhecer a realidade do país", referiu a presidente da instituição.

Perante o desafio de cativar uma audiência potencial de 261 milhões de falantes de português em cinco continentes, o novo portal recebe os visitantes com uma primeira página diferente consoante "a geografia do visitante", apresentado informação relacionada com o ponto do globo em que se encontra, destacou Pedro Santos, da equipa de desenvolvimento.

A secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro referiu que este "é um trabalho relevantíssimo, porque não apenas materializa as orientações do Governo nas áreas da língua, cooperação e definido em sede de Simplex, como também permite o exercício saudável do escrutínio perante as políticas públicas."

José Luís Carneiro, secretário de Estado das Comunidades, também presente na concorrida cerimónia, enalteceu o "espírito de equipa no Ministério dos Negócios Estrangeiros e no Instituto Camões".

No portal de serviços é possível apresentar candidaturas a bolsas de estudo ou para agentes de cooperação, inscrever-se na rede de ensino de português no estrangeiro, candidatar-se como professor, entre muitas outras valências. "Uma casa aberta interativa", resumia Ana Paula Laborinho.

Ler mais

Exclusivos