Instituto Camões com "casa aberta interativa"

Novo portal de serviços procura alargar públicos da instituição e oferecer mais informação a quem quer estar próximo da realidade do país.

O Instituto Camões apresentou hoje o novo portal de serviços, já disponível online. Segundo a presidente da instituição, esta renovada ferramenta permite "melhor comunicação e mais comunicação." Ana Paula Laborinho destacou a linguagem simples e inovadora com que o Instituto Camões agora se apresenta ao mundo.

Com o novo portal de serviços o Instituto Camões quer aumentar o número de visitantes virtuais e reforçar a aposta na comunicação digital: atualmente tem mais de 99 mil seguidores no Twitter e 72 mil no Facebook

Para além da imagem gráfica, o portal aposta em cursos à distância, na atualidade e na informação cultural externa "mais próxima dos que querem conhecer a realidade do país", referiu a presidente da instituição.

Perante o desafio de cativar uma audiência potencial de 261 milhões de falantes de português em cinco continentes, o novo portal recebe os visitantes com uma primeira página diferente consoante "a geografia do visitante", apresentado informação relacionada com o ponto do globo em que se encontra, destacou Pedro Santos, da equipa de desenvolvimento.

A secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro referiu que este "é um trabalho relevantíssimo, porque não apenas materializa as orientações do Governo nas áreas da língua, cooperação e definido em sede de Simplex, como também permite o exercício saudável do escrutínio perante as políticas públicas."

José Luís Carneiro, secretário de Estado das Comunidades, também presente na concorrida cerimónia, enalteceu o "espírito de equipa no Ministério dos Negócios Estrangeiros e no Instituto Camões".

No portal de serviços é possível apresentar candidaturas a bolsas de estudo ou para agentes de cooperação, inscrever-se na rede de ensino de português no estrangeiro, candidatar-se como professor, entre muitas outras valências. "Uma casa aberta interativa", resumia Ana Paula Laborinho.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.