Inédito. Emma Watson vence prémio de melhor atriz/ator

MTV apresentou o primeiro prémio que não separa os nomeados pelo género. Atores de Moonlight levaram o prémio de melhor beijo

Emma Watson ganhou este domingo o prémio de melhor atriz/ator da MTV TV & Movie Awards, o primeiro prémio que não faz distinção de géneros. A atriz venceu pela sua performance no filme A Bela e o Monstro e atribuiu a vitória ao que a personagem representa e elogiou a MTV.

"Eu acredito que estou a receber este prémio por causa de quem a Bela é e do que ela representa", disse a atriz no discurso de vitória. "Os aldeões do conto de fadas queriam que a Bela acreditasse que o mundo era menor do que ela via e com poucas oportunidades para ela. Eu adorei representar alguém que não ligou a nada disso".

A atriz e ativista pelo feminismo e igualdade de género elogiou também a MTV por abolir a distinção de géneros para o prémio de melhor ator/atriz.

"O primeiro prémio de sempre para atores que não separa os nomeados pelo género diz algo sobre como nós entendemos a experiência humana", disse a atriz. "A decisão da MTV de criar um prémio sem género para atores tem significados diferentes para toda a gente", continuou dizendo que os atores devem conseguir vestir a pele dos outros.

Representar é ter a habilidade de nos colocarmos na pele de outra pessoa e isso não precisa de ser separado em duas categorias

Emma Watson concorria contra atores como James McAvoy, pelo papel no filme Fragmentado, Taraji P. Henson, protagonista de Estrelas Além do Tempo, Hugh Jackman, protagonista de Logan, Hailee Steinfeld pelo papel no filme The Edge of Seventeen e Daniel Kaluuya, protagonista de Corra!.

Outro momento marcante da cerimónia foi a entrega do prémio para melhor beijo de cinema. Os vencedores foram os atores Ashton Sanders e Jharrel Jerome, do filme Moonlight: Sob a Luz do Luar.

"Este prémio é maior do que o Jharrel e eu", disse Ashton Sanders. "Isto representa mais que um beijo. Representa aqueles que se sentem excluídos, desajustados, representa-nos a nós".

Os MTV TV & Movie Awards, os antigos MTV Video Movie Awards, são os primeiros prémios de cinema a abolir a distinção de género para os nomeados e vencedores. Na mundo música, por exemplo, estes prémios neutros chegaram mais cedo: em 2011, os Grammy Awards deixaram de separar os nomeados pelo género.

O desfile das estrelas na passadeira vermelha foi interrompido devido a uma chuva intensa de granizo.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.